Sindicato de Alimentação diz que Marfrig não cumpriu liminar de reintegração de funcionários

Gaspar diz que Marfrig não cumpriu liminar
No final do ano passado foi noticiado que o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias da Alimentação teria ganho uma ação que determinou que os trabalhadores demitidos sem justa causa do Marfrig entre fevereiro e julho de 2013, fossem reintegrados. A informação foi dado pelo presidente do Sindicato, Gaspar Neves.
Com a decisão, cerca de 350 trabalhadores voltariam a trabalhar. Voltariam porque a redação do blog que todo mundo lê recebeu contato, no final da tarde desta segunda-feira, 27, do Presidente Gaspar que informou que a empresa Marfrig endereçou correspondência ao Sindicato na quarta-feira, dia 22, convidando para uma reunião. Gaspar contou detalhes do que fora discutido.
"A correspondência era no sentido de que participássemos de uma reunião para que chegássemos a uma composição amigável para a ação pública trabalhista das demissões em massa que ocorreram na empresa no período de fevereiro a julho de 2013. Respondemos que sempre tentamos até o último momento uma solução extrajudicial, tanto assim, que comparecemos a várias audiências no MPT de Santa Maria, mas sempre inexitosas, pois a empresa não manifestava qualquer interesse mínimo que fosse, em reconhecer o grave prejuízo a que submetidos centenas de trabalhadores demitidos, o que nos levou então a ingressar na justiça. A reunião contou com a presença de Rui Mendonça e Orlando Oliveira, diretores do Marfrig, onde fizeram proposta de acordo entre as partes. Diante destas considerações, resta-nos dizer que sempre nos colocamos como parceiros, tanto assim que sempre que chamados, procuramos auxiliar da melhor forma possível, procuramos valorizar os empregos gerados, porém, jamais poderíamos concordar com certas atitudes da empresa e que momentaneamente nos levou a tomar caminhos opostos e, sem outra alternativa, teve o Sindicato que procurar a defesa da categoria na esfera judicial. Logo, reafirmamos que não aceitamos que seja ultrapassado o limite dos direitos dos trabalhadores e por tal razão, não aceitaremos nesse momento qualquer atitude outra que não seja a de cumprir, no momento, a determinação judicial, no sentido de que fossem reintegrados os trabalhadores na data de 23/01/2014. Os trabalhadores se reapresentaram na manhã do dia 23, supervisionados pelo Sindicato da categoria, no entanto, a determinação judicial não foi cumprida na íntegra, razão pela qual comunicamos ao juízo, lembrando que há multa fixada para cada dia de atraso e não negociaremos nesse sentido, pois nossa luta foi e continua sendo, de que as pessoas demitidas retornassem ao trabalho e isso ficou muito claro na tutela antecipada concedido na Ação Civil Pública ajuizada por nossa entidade sindical, até porque, a liminar pleiteada no Mandado de Segurança interposto pela empresa junto ao TRT4, restou foi indeferida. Resta-nos aguardar o pronunciamento do excelentíssimo senhor juiz do trabalho sobre o descumprimento da liminar de reintegração, resposta essa que esperamos obter nas próximas horas", finaliza Gaspar.


NOTA DA REDAÇÃO:
O espaço para que o Marfrig se manifeste a respeito das declarações de Gaspar está dado.

Comentários