Unipampa: Reitora assina ordens de serviço para construção de 6 prédios para moradias estudantis, inclusive em São Gabriel

Em ato realizado no Gabinete da Reitoria da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) na tarde de terça-feira (21), a Instituição e as empresas vencedoras das licitações para a construção das Casas de Estudantes do Programa João de Barro assinaram seis ordens de serviço para início das obras a serem realizadas nos campi de Alegrete, Itaqui, Uruguaiana, Jaguarão, São Borja e em São Gabriel.
A solenidade de assinatura das ordens de serviço teve a presença da reitora, professora Ulrika Arns, da pró-reitora de Planejamento, Desenvolvimento e Avaliação (PROPLAN), professora Vanessa Rabelo Dutra, do pró-reitor adjunto da PROPLAN, professor André Lübeck, e dos representantes das empresas Marsou Engenharia Ltda., Construtora Sotrin Ltda., Hartmann Engenharia Ltda. e Horizonte Comercial de Materiais para Construção Ltda.
A empresa Marsou será responsável pela execução da obra no Campus Jaguarão; a construtora Sotrin, pelas obras nos Campus Alegrete e Campus São Gabriel; Horizonte, no Campus São Borja e Hartmann nos campi Itaqui e Uruguaiana. A Pró-reitoria de Planejamento, Desenvolvimento e Avaliação da Universidade confirmou que o início dos trabalhos das empresas deverá ocorrer impreterivelmente até o dia 3 de fevereiro de 2014 e que todas as empresas têm o prazo de 720 dias para a execução das obras.
Durante o ato de assinatura das ordens, a reitora da Universidade, Ulrika Arns, ressaltou a importância das Casas de Estudantes no contexto das universidades públicas brasileiras:
“As moradias estudantis são obras fundamentais para abrigar os estudantes. O projeto das Casas de Estudantes João de Barro da UNIPAMPA já foi procurado por outras universidades como modelo para ser aplicado em outras instituições de ensino do país”.
A pró-reitora Vanessa Rabelo Dutra enfatizou que o projeto foi debatido coletivamente pela comunidade acadêmica: “Esse é um projeto inovador que pensa a Casa de Estudantes em espaços mais individualizados e com espaços de convívio para os estudantes. Além disso, a Casa foi projetada com ideias de sustentabilidade, como por exemplo, o reaproveitamento de água da chuva”, enfatiza a gestora.
No total, cerca de R$ 17 milhões serão investidos nas obras. A Universidade deve licitar ainda a construção das moradias estudantis para os campi Bagé, Caçapava do Sul e Dom Pedrito, totalizando cerca de R$ 25 milhões destinados para essas edificações.

Comentários