Textículos do Mário Mércio

Mário Mércio
Colunista do blog

OLHANDO PELO BURACO DA FECHADURA
Recebi algumas mensagens com perguntas interessantes. Gosto de responder. Dá-me cócegas nos dedos e a mente dispara assim como cavalo aporreado.
Pergunta: Aqui no FB há muita crítica a governos (munic.est. e fed.) e nunca vi uma manifestação sua. Tens?
Bem, normalmente não me meto em política (campeã em comentários) pois já fui governo e tenho ideia formada sobre isso. Senão vejamos: minha tese é que nos enxergamos o governo, seja qual for, pelo buraco da fechadura, que é estreitíssimo, sem observarmos as tendências e as relações de causa e efeito, como os que abrem a porta para ter uma visão ampla da situação.
Mas é bom ver esta demonstração de brasilidade nas postagens, só que nem sempre isso representa a verdade. Pois são pessoas que estando acostumados a ouvir somente o lado ruim e é um alívio perceber que existe grande parcela de pessoas que não se deixam abater pelo rolo compressor da mídia e dos alarmistas que insistem em pintar os quadros sempre, e cada vez mais, negros.
Outro ponto que me chama a atenção nas postagens políticas é a constatação da ignorância (sem ofensa, é quem ignora alguma coisa) absoluta obre os mais básicos conceitos de democracia, ou melhor, do funcionamento do Estado. Parece que as pessoas esqueceram aquilo que aprenderam na infância: a complexidade de um sistema que tem três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário, chocando-se a cada momento e transformando problemas de aparente e fácil solução em indecifráveis enigmas que se prolongam, sem resposta.
Aí a fórmula mais fácil é criticar a presidente, o governador, o prefeito, o juiz, a polícia, etc.
Imaginemos que em nossa casa tenhamos uma doméstica que seguidamente erra no sal, queima o arroz, arruma mal a cama, então nossa esposa é que devia ser culpada, porque não cuidou bem dos serviços. Mas culpamos a doméstica. Não é isso? Pois no governo é a mesma coisa. A epidemia da dengue não é culpa do Ministro? Ou das secretarias e profissionais que não se moveram á tempo? Abaixo das grandes autoridades há centenas, milhares de pessoas que de alguma forma falharam. Quando eu dirigia presídio e fugia um preso, o promotor logo me arrolava num processo para descobrir porque deu-se a fuga. Isso é natural, mas ele nunca foi para a imprensa me acusando.
Um Tonho da vida liga mal uma chave e falta luz e o culpado é o presidente da estatal...Puxa.. devemos acabar com isso.
Estamos vendo os problemas pelo buraco da fechadura, sem a amplitude da causa e do efeito.
As coisas são muito mais complexas do que parecem. Essa visão simplista é parcial e tendenciosa e muito limitada. A mídia quer ver o circo pegar fogo, pois dá IBOPE.
Por isso temos de ENTENDER como funciona a máquina dos governos para poder CRITICAR ou dar nossa opinião. Mas sabemos que para chegar a isso, ainda falta MUITO.

Comentários