Livro do Barão de Candiota movimenta manhã da Vila de Tiaraju

Diretora Maslova - à direita - e professoras recepcionaram Osorio antes da sessão de autógrafos
A sessão de autógrafos do livro “Barão de Candiota”, pelo seu autor Osorio Santana Figueiredo, quebrou a rotina da Vila de Tiaraju na manhã dessa segunda-feira, 10 de março.
A sessão foi realizada a partir das 10 horas na Escola Estadual José Antonio de Assis Brasil. Osorio Santana Figueiredo foi recepcionado pelos professores, alunos e servidores da Escola, sob o comando da diretora Maslova Mota Souto.
Antes dos autógrafos, Osorio relatou as razões que o motivaram a escrever o livro, estando na origem a vivência que tivera no período – década de 40 do Século 20 - em que a Vila de Tiaraju possuía uma pujante atividade econômica com charqueada, casas comerciais e engenho de arroz, e a ligação com os mercados era facilitada pelo funcionamento regular da linha ferroviária. Por essa razão, o livro traz também a história da Vila Distrital de Tiaraju.
Luiz Carlos dos Santos morador da Vila e amigo do escritor
Destacou que o personagem principal do livro - Luís Gonçalves das Chagas – o Barão de Candiota (1815-1894) - fora grande proprietário rural na Vila de Tiaraju e ao seu redor com as fazendas Bella Vista (primeiro nome daquela localidade), Santa Cruz e Espinilho. A descendência do Barão - do casamento com a prima Anna Gonçalves das Chagas, tiveram 11 filhos -, teve e tem presença significativa na história de São Gabriel.
Osório destacou a contribuição que recebeu para a confecção da biografia especialmente de um dos bisnetos do Barão – Oscar Henrique de Carvalho Chagas, o Jota, presente na sessão.
Ao finalizar, informou que incluiu no livro um capítulo sobre a Guerra Guaranítica que envolve a figura de Sepé Taraju e também um apêndice com informações e dados sobre a história de São Gabriel.
Seguiu-se a apresentação da biografia do escritor pela professora Vera Leatriz Barbosa.
Durante a sessão de autógrafos com a participação também dos moradores da Vila e suas lideranças como o presidente da associação local, Arisoli Madri, foram feitas duas doações à Escola: de 20 exemplares do livro pela Estância Santa Fé, do bisneto do Barão, Oscar Chagas, o Jota, e de cinco exemplares pela Fazenda Santa Lorena de Antonio Severo, estando presente a senhora Ivoni Severo e filha Luciana Severo Kirchof.
Fez parte do evento também a exposição de móvel e utensílios que pertenceram ao Barão de Candiota, acervo do bisneto Oscar Chagas.

Comentários