Palavras Soltas

Cecília de Assis Brasil Petrarca Figueiredo
Colunista do blog

ASSIM ASSIM...
Gostaria de ser criança, mais jovem. Gostaria ter a idade que tenho, embora eu não tenha até hoje descoberto qual é, mas parar por aqui. Gostaria de viajar lá para trás quando me desse na telha e andar à galope no lombo do Picasso, do Baio ou da Moura, com meus cabelos, (perucas feitas literalmente de rabos de cavalo e até de vaca), voando ao sabor do vento. Gostaria de acordar de madrugada tomar apojo com canela e açúcar e ouvir novamente aquela voz mansa e firme dizendo: "pisa forte que este chão é teu"!
Gostaria de voltar a ser guria, adolescente adolescendo, descobrindo que queria ser médica, trapezista, malabarista, bailarina ou mágica no Tihany Spetacular . Gostaria de ter asas e voar bem alto, ir às Ilhas Solovetsky, à Conchinchina ou a lugares ainda mais improváveis e difíceis de imaginar; gostaria de ter fôlego para atravessar o canal da Mancha nadando e subir sozinha o pico do Everest. Gostaria de cortar minhas asas e andar de pés descalços pisando firme no campo verde esmeralda esperança, esfregando a sola no solo para enganar as rosetas. Gostaria de ser adulta falar mandarim, javanês, luanês, cantonês ou baianês, galego e mirandês. Gostaria de viver em Buenos Aires, Toronto,Toscana, San Francisco, Azevedo Sodré, Três Divisas, Bela União ou em Berlim. 
Gostaria de tocar baixo, gaita de oito baixos ou de boca, mas alto, bem alto, muito alto. Gostaria de ser o Donald e dizer" you're fired", ou quem sabe o tio Patinhas com sua moeda número um...
Gostaria de não sofrer tanto pelo que não vale nada, de aceitar e confirmar, de acreditar em paz e em " fazer as pazes". Gostaria de ter muitos amigos ou de ter poucos, daqueles feitos sob medida que não nos abandonam à primeira contrariedade. Gostaria de mudar de vida, de viver várias vidas. Gostaria de ser o tempo, o vento, o passatempo, de ter mais tempo e ler mais e mais e mais. Gostaria de ter uma memória excelente e de não me esquecer do chaleira no fogo, da data de aniversário de ninguém, do lugar que guardei as meias, onde escondi o dinheiro e principalmente esquecer que o tempo não passa, nós é que passamos por ele...
Gostaria de ter um humor mais cáustico,mais sarcástico ou qualquer coisa do gênero in between; de ser mais independente, de ter o cabelo mais curto ou mais comprido, mais farto ou bem rapadinho. Gostaria de ser uma Evita, uma Dy ou uma Madre Teresa, um Andrew Zimmern, um Anthony Bourdain ou um Gordon Ramsay. Gostaria que não andar sempre tão preocupada e gostaria de amenizar essa angústia que guardo dentro por não ser tudo o que gostaria. Gostaria de não explodir por tudo ou por nada, de ter e ser mais calma, de gostar mais de algumas coisas, pessoas ou cenas. Gostaria de não gostar tanto de outras.
E é isto. E é assim. Por gostar tantos dos gostarias eu acabei preferindo gostar do que sou. Mas eu gostaria de saber que vocês gostam de mim assim, do meu jeito, meio "assim assim"...
Ah isso eu gostaria...
E eu gostaria de agradecer a todos os que gostam de mim como sou, mesmo sabendo que eu gostaria e poderia tentar e ser melhor...

Comentários