Prefeitura orienta moradores do Residencial Antonio Trilha

Foram esclarecidas regras de utilização de espaços comuns e de boa convivência
Na última semana as secretarias municipais de Assistência Social e de Obras, prestaram uma série de esclarecimentos aos moradores do Residencial Antônio Trilha. No primeiro encontro, que aconteceu na última sexta-feira, 28, a pauta foi direcionada à coordenação dos síndicos e aos subsíndicos do residencial. Na ocasião, a responsável pelo Trabalho, técnico social Mariuza Saraiva e a coordenadora do setor de Habitação do município Magali Balconi, expuseram o sistema de regras do regimento interno, aprovado pela Caixa Econômica Federal.
No sábado, 29, as secretarias realizaram a primeira reunião coletiva de trabalho social com os proprietários que já moram no local. Em pauta as regras e horários de utilização dos espaços comuns. A discussão conjunta esclareceu aos 80 novos moradores, que já se mudaram, os parâmetros sobre a utilização da quadra de esportes por pessoas que não residem no local, e ainda, a necessidade de identificação do público externo que passará a frequentar as dependências. Também foram estabelecidos horários limites para a utilização da praça e da quadra. Em consenso, os moradores optaram pelo agendamento prévio dos espaços, até que seja realizada a primeira assembleia geral, que deve contar com a representação de todos os proprietários dos apartamentos.
Foi tratada ainda a correta utilização de varais e a possibilidade de implantar antenas externas, internet e ar condicionados. Alguns assuntos tiveram definição adiada para a assembleia geral. De acordo com orientações da Construtora ACPO, cada apartamento poderá instalar um aparelho de ar condicionado.
O trabalho social que atende todos os proprietários dos apartamentos do Residencial Antônio Trilha prossegue pelo período de oito meses, mas de acordo com o secretário de Obras, Felipe Abib, que participou da reunião e visitou alguns apartamentos, o prefeito orientou que se for preciso, esse tempo poderá ser prorrogado, “estamos dando toda a orientação necessária para que as famílias tenham uma boa convivência, já que cada um deles está entrando em uma nova realidade e dividindo vários espaços comuns. Manteremos esse trabalho social, o tempo que for necessário, até que todos se estabeleçam”, finalizou o secretário.