"Os vereadores do PDT e a vereadora do Solidariedade estão fugindo dos secretários"

Desta maneira, se referiu o Procurador Jurídico do município, Guilherme Abib. Para ele, não há dúvidas: ausência na sessão foi premeditada

Guilherme: "Houve premeditação por parte desses vereadores"
Teve início na sessão de ontem, com diversos pedidos de informação a Secretária de Educação, Nilvanês Jobim, um debate em torno da presença de secretários nas sessões que deu o que falar também nesta terça-feira, 8. As divergências entre situação e oposição iniciaram no dia anterior quando o vereador Cilon Lisoski (PR) sugeriu que os vereadores ouvissem os secretários na própria Câmara.
Entretanto, uma polêmica maior estava por ter início nesta terça-feira. Durante a sessão antecipada, 11 vereadores assinaram sua presença: Caio Rocha, Cacaio, Claudiomiro Borges, Beka, Néca Bragança, Karen Lannes, André Lemes, Marcos Vieira, Nenê, Sandra Xarão e Chiquinho. A presença de 8 edis já seria suficiente para ter quórum, todavia, de uma hora para outra, alguns vereadores da bancada de oposição teriam se ausentado do recinto, fazendo com que a reunião não fosse realizada.


Cilon: "Seria medo, mas do quê?"

Nas redes sociais, o vereador Cilon informou que os edis teriam ido embora após descobrirem que na data seria votado para que 4 secretários - Nilvanês Jobim, Educação; Felipe Abib, Obras; Guilherme Abib, Procurador Jurídico e Daniel Ferrony, Saúde, fosse convocados para explicar as dúvidas dos vereadores da oposição.

"Seria medo, mas do quê? Fica aqui minha indignação pela manobra que da mesma maneira que não deixaram o secretário Daniel falar para a comunidade sobre a saúde. Agora evitam esclarecimentos de outros secretários. Nunca vi disto, fazem uma montoeira de pedidos de informação, todos aprovados pelos vereadores da base e não querem ouvir os secretários. Daí a população não entende. Querem esconder o quê? Sabemos das dificuldades do governo, mas acreditamos que com o passar dos dias muita coisa será feita em prol da nossa comunidade e nem tudo o que é dito pelos vereadores de oposição é verdade, aliás, é mais politica raivosa do que verdades. Já tiveram seu tempo e não fizeram. Agora, deixa para nós", desabafou.

Os vereadores da oposição também se manifestaram nas redes sociais.

Paulo Sérgio Barros (Nenê) disse que vereador da situação só convoca secretário quando é incapaz, limitado e lhes falta argumento para sustentar o debate em plenário com os vereadores da oposição", disse.
Karen: "Ficamos 2 horas e meia no plantão"

Já a vereadora Karen Lannes diz que é favorável a vinda dos secretários. 
"Quando fui secretária de turismo, o vereador Cilon me fez pedidos de informação e eu prontamente respondi e achei muito legal, porque isso é transparência. Não sou e jamais serei contra qualquer pessoa se manifestar na Câmara", falou.
O Secretário de Obras, Felipe Abib, também manifestou a sua posição perante esta situação e parabenizou Karen pelo pronunciamento.
"Todos os questionamentos que foram feitos para minha secretaria foram respondidos. O que está se discutindo aqui é porque vereadores da oposição que estavam na Câmara de Vereadores fechados em gabinete não foram a sessão que é o mínimo que se espera de um vereador, até mesmo porque pelo que sei estes vereadores irão receber os jetons ou salário integral. A fiscalização é muito importante por parte dos vereadores, assim como a presença de secretários na Câmara para poder responder diretamente na casa do povo. Fico faceiro de que a vereadora Karen votará a favor da convocação, pois nestes momentos é que a verdade vem a tona e não os subterfúgios de alguns", declarou.
Agora há pouco, conversamos com a vereadora Karen Lannes para saber o que teria os levado a tomar tal decisão, entretanto, a vereadora disse que a alegação inexiste.
"Na verdade, o que aconteceu foi que a funcionária Cláudia passou mal e nós tivemos que leva-la ao plantão ficando lá cerca de 2 horas e meia. Precisei contar com a ajuda do vereador Beka. O vereador Nenê, em virtude do fato, também acabou se ausentando e como o vereador Chiquinho, que informou ontem que também não iria, devido ao pagamento dos aposentados no banco, não teve quórum. O presidente Marcos ainda nos esperou por 5 minutos. Te asseguro, que da minha parte não teve jogada nenhuma", declarou Karen que disse que o assunto pode ser discutido sem problemas na próxima segunda-feira. 
Para o Procurador Jurídico do município, Guilherme Abib, não resta dúvida, a ausência foi premeditada.
"Não há dúvida. Houve premeditação por parte desses 4 vereadores, pois está nítido que desde a vez que o secretário Felipe falou, a oposição não quer mais secretários na casa, a exemplo de quando convocaram e não quiseram ouvir o secretário Daniel. O debate só é ruim para os covardes. Os vereadores do PDT e a vereadora do Solidariedade estão fugindo dos secretários", declarou.