Textículos do Mário Mércio

Mário Mércio
Escritor e colunista do blog

Racismo
Abel Braga, técnico do Inter em entrevista sobre racismo no futebol disse: “Infelizmente vivemos numa sociedade mal-educada”. Uma sinceridade candente que me surpreendeu considerando as muitas outras entrevistas e opiniões de autoridades e jogadores de futebol que estão constantemente na mídia.
Isso merece uma reflexão - não a frase, mas o racismo mesmo. Em resumo o técnico afirmou que a discriminação pela cor da pele é injustificável sob todos os aspectos. E ele tem razão! É isso mesmo! O grau de estupidez em qualquer ambiente social é chocante. Vemos a impaciência, o mau humor, falta de respeito e a necessidade de obter alguma vantagem com esperteza a qualquer custo campeiam soltas em todos os lugares, mormente no futebol, onde as pessoas aglomeradas, fanatizadas, acham que podem dizer o que querem. É muita adrenalina, daí essas barbaridades. Mas certamente na roda de amigos, em casa, no clube, não diriam tais absurdos.
Não sou psicólogo e nem sociólogo, mas como escritor, observador do comportamento humano, acho que o consumismo e a exposição pública dos mais simples gestos do cotidiano contribuem para exacerbar os ânimos. 
Por outro lado cada vez é menor o espaço para gentilezas, paciência e respeito àqueles que precisam de atendimento prioritário. Isso se observa nas agências lotéricas, bancos e supermercados a toda hora, sem falar em hospitais e repartições públicas que deveriam primar e zelar por atenção especial para que é especial.
É difícil encontrar um meio termo entre a necessidade de seguir regras sociais mínimas e lutar contra a desigualdade de tratamento. Falta muita maturidade ainda. Vemos maus exemplos muito perceptíveis em todos os lugares que se transformam e conspiram entre si. Vemos argumentos irrefutáveis serem debatidos. É como uma súmula, mas tem gente que ainda debate. Isso se vê no trânsito, nas filas, nos estacionamentos, nos restaurantes e congestionamentos de veículos. É preciso que sejamos intransigentes na boa educação. Somente o RESPEITO vai melhorar o mundo --nos diz o jornalista Gilberto Jasper e completou: --Os bons exemplos não podem escassear. Sob pena de voltarmos à barbárie.