Vítima morreu e responsável pela morte se apresentou na tarde desta quarta-feira

Serginho se apresentou com advogada
O jovem Sérgio Andrei de Oliveira Gonçalves, de 18 anos, conhecido pelo apelido de Serginho, se apresentou na tarde desta quarta-feira, 23, na Delegacia de Polícia, acompanhado de advogado. O rapaz é acusado de balear, com dois tiros de revólver calibre 22, o pedreiro Luis Felipe Alves Martins, de 33. O crime aconteceu no começo da noite de terça-feira, por volta de 18 horas, na Rua Santa Rita, no Bairro Élbio Vargas.

Luis Felipe foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e encaminhado, em estado grave, ao Hospital de Santa Casa de Caridade. O homem chegou a mencionar que não sentia as pernas. De acordo com a Polícia Civil, entre o período de internação e 15 horas desta quarta-feira, o estado de saúde dele era grave. Uma bala ficou alojada na coluna e outra atravessou o pulmão. Antes das 16 horas, o Hospital confirmou a sua morte.
O caso está relacionado a uma tentativa de homicídio ocorrida na manhã de terça-feira, envolvendo um carroceiro e seu filho, identificados como sendo Milton e Jonatan. Pelo menos, inicialmente, cinco pessoas aparecem envolvidas nos dois casos.
Após balear a vítima, Serginho conseguiu fugir. Ele é integrante do Bondi do João de Barro e aparece na relação de denunciados pelo Ministério Público e Polícia Civil em casos de formação de quadrilha, porte de arma de fogo e munições, lesão corporal, rixa, ameaça, furto, roubo e incitação ao crime.
Familiares de Serginho ficaram durante toda a tarde na Delegacia de Polícia enquanto o acusado era apresentado. Pessoas que testemunharam o confronto também deram depoimentos.

A VERSÃO DA FAMÍLIA
Luis Felipe foi baleado
No começo da manhã de terça-feira, por volta de 9h30, pai e filho, identificados como sendo Jonatan e Milton, informaram na Delegacia de Polícia que teriam sido perseguidos por dois homens armados. Conforme o relato de Jonatan, tratavam-se de Luis Felipe e um menor de idade. Para escapar dos acusados, Jonatan disse que fugiu para uma residência (na Rua Santa Rita) e o pai dele para outra casa, na mesma rua. Uma destas moradias pertencia ao acusado Serginho. Quando a Brigada Militar chegou no local, os dois homens haviam escapado.
O conflito desencadeou toda a violência que aconteceu no período da noite.
De acordo com familiares de Serginho, a vítima Luis Felipe procurou o acusado para questionar a presença da polícia, acreditando que teria sido ele o responsável pela denúncia. “Eles discutiram e Serginho então disse: se tu quer, vamos resolver isso no braço!”, comentou um familiar.
Não foi o que aconteceu. Ainda, segundo relato de familiares, Serginho atirou porque notou que Luis Felipe estava tentando sacar um revólver. A Polícia Civil não confirmou se foi encontrada arma com a vítima.
O revólver utilizado por Serginho também não foi localizado. Logo após o crime, ele fugiu em direção a um matagal e teria jogado a arma em um lago. Os policiais ainda tentaram encontrá-la, mas não foi possível. Serginho foi liberado no final da tarde e disse que se manifestará somente em juízo.

A FAMÍLIA DA VÍTIMA – A Brigada Militar foi mobilizada para atender um chamado no começo da tarde. Um dos famíliares de Luis Felipe teria tentado depredar a residência onde Serginho reside. Com a presença da Brigada Militar, a ação foi impedida.

Fonte: N1 Notícia