Alegrete terá núcleos de Policiamento Comunitário

Reunião do GGI com a participação do Coronel Marobim, explicando sobre
o programa de polícia comunitária
Alegrete - O Gabinete de Gestão Integrada (GGI), reunido na manhã desta quinta-feira (15) no Centro Administrativo Municipal, recebeu o Coronel Júlio César Marobim da Secretaria de Segurança Pública do Estado. O coordenador estadual do Programa de Polícia Comunitária explanou ao prefeito Erasmo Guterres Silva, vice-prefeita Preta Mulazzani, delegado regional Álvaro Oliveira Neto, delegada Josiane Froehlich, vereador Zé Paulo (PT) e secretários Luís Cláudio Maglioli e Ana Maria Thompson Flores a fundamentação e vantagens de sua implantação nos municípios.
Com base em conceitos japoneses, a Polícia Comunitária busca aproximar os policiais com a população, alimentando a sensação de segurança pública a partir dessa convivência. É operado a partir de núcleos formados por bairros, que são atendidos por PMs que moram nos perímetros onde farão o policiamento. “Residir no local dá ao policial o conhecimento dos problemas de segurança pública da região, que pode propor ao comando estratégias de trabalho mais eficazes”, explica o coronel.
Na implantação do projeto, o Estado entrega uma viatura nova para cada núcleo e equipamentos de uso individual para cada policial, com investimento inicial de 90 mil reais. Uma parceria entre a Secretaria e as prefeituras garante uma bolsa-auxílio para o pagamento do aluguel das casas para os policiais e a SSP fornece capacitação a policiais e líderes comunitários.
Cada núcleo, composto por quatro policiais militares, terá no máximo 10 mil habitantes. Nas áreas de atuação da Polícia Comunitária em Caxias do Sul, onde mais de 60% da área urbana está coberta e serve de modelo para sua a implantação, os homicídios caíram 57,1%, após um ano e meio. Em todo o estado, furtos e roubos diminuíram entre 11% e 54% nesses perímetros, sem a migração para áreas no entorno. “Fomos buscar este programa por que as informações dos municípios onde houve a implantação são muito positivas. Temos certeza que Alegrete tem a ganhar com a sua concretização”, diz Preta Mulazzani.
Ainda não estão confirmadas quantas e quais regiões serão apontadas para a instalação dos núcleos em Alegrete. O prefeito Erasmo Guterres Silva explica que esta definição passará pelo debate com os órgãos de segurança. “Temos algumas sugestões iniciais, mas decisão deve acontecer com a participação da Polícia Civil, Brigada Militar e Guarda Municipal. Vamos trabalhar com base nas estatísticas”, determina.
Segundo o secretário Luís Cláudio Maglioli, este debate deve servir como ponto de partida para a retomada efetiva dos trabalhos do Gabinete de Gestão Integrada. “Tivemos mudanças de comando nos últimos meses que dificultaram a continuidade das reuniões do pleno, apesar do trabalho integrado não parar. O encontro de hoje terá um papel importante para este reinício”, afirma.