Palavras Soltas


Cecília de Assis Brasil Petrarca Figueiredo
Colunista do blog

Engraçado como associamos automaticamente as palavras generosidade e doação com dinheiro. Achamos que devemos apenas abrir a carteira e pronto, missão cumprida. Mas doar não é isso. Doar é acima de tudo amar. Doar é dar atenção, é ouvir, compreender, perdoar, cooperar. Doar é participar, ensinar, é estender a mão, compreender os erros dos outros e reconhecer os nossos próprios. Doar também é falar, aconselhar e ajudar naquilo que se faz necessário. Se a gente não estiver fazendo doações nas pequenas áreas de nossa vida, provavelmente não somos tão generosos quanto imaginamos.

A coisa mais valiosa que se pode doar é nós mesmos. Oferecer uma fração do nosso tempo a alguém. Ouvindo, abraçando, perdoando, aprendendo, ensinando, conversando, trocando, compartilhando... Só assim descobriremos o verdadeiro principio da bondade, da generosidade. Nenhum outro sentimento é tão nobre e toca tão profundamente as pessoas quanto a generosidade. E não me refiro a esta como filantropia, bens e outras coisas, que entendemos como tal. Refiro-me a generosidade como uma virtude de caráter, que pode ser desenvolvida, cultivada e aperfeiçoada para o nosso próprio bem, para o bem de nossa espécie, do nosso mundo...
A generosidade não é um acontecimento ao acaso. Vem do coração daquele que o doa e creio que seja creio que seja disso que estejamos todos tão carentes...