Presidente do Legislativo condena aumento de energia elétrica

O presidente do Poder Legislativo de São Gabriel, Marcos Paulo “Mec” Vieira, compareceu na manhã desta sexta-feira, 2 de maio, no Parque da Fenegócios em Alegrete, onde foi realizada audiência pública de interiorização da CPI da Assembléia Legislativa que discute o estado da prestação de serviços de abastecimento de energia elétrica aos consumidores do Rio Grande do Sul. O evento teve a participação de prefeitos, vereadores, presidentes de associações comerciais, sindicatos rurais e entidades civis de toda a Fronteira Oeste do Estado. 
Nos trabalhos da CPI, que tem como presidente o deputado estadual Julio Redecker (PSDB) e cuja sessão em Alegrete foi coordenada pelo deputado estadual Frederico Antunes (PP), foi abordada especialmente a recente decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), que autorizou um reajuste de mais de 28% na tarifa de energia elétrica para os municípios da região de cobertura da AES Sul. “Não sabemos que parâmetros o governo federal utiliza para liberar um aumento de cerca de 30% na conta de energia dos municípios da nossa região, e 14% para os moradores da grande Porto Alegre, sendo que é na Termoelétrica de Uruguaiana que a energia é gerada”, ressaltou o presidente Marcos Mec.
O presidente do Legislativo externou indignação com a postura da ANEEL, que encaminhou à audiência pública um ofício informando que seu representante não poderia estar presente por estar doente. “Não tem ninguém pra representar numa audiência pública com representantes de todos os municípios? Ou querem fugir de prestar contas à comunidade?”, indagou, ressaltando que a qualidade dos serviços prestados à AES Sul não justifica um aumento na tarifa do consumidor. “Em São Gabriel, muitas vezes as redes de localidades do interior e até de bairros ficavam dias sem ser restabelecidas, prejudicando comunidades inteiras. Isto sem falar que um reajuste deste tamanho vai aumentar o custo de produção da indústria e do agronegócio, pressionando o custo final dos produtos para o contribuinte e aumentando a inflação. Vamos pressionar para lutar contra estes aumentos abusivos, em defesa da comunidade gabrielense”, assinalou o presidente do Legislativo.