35ª Feira do Livro registra crescimento de público de 47%

Lançamento de livros Rosângela Conceição, Preta e Grings
Alegrete - Foi uma grande Feira do Livro. Pelo 35º ano, Alegrete promoveu a festa da leitura, num evento que se fortalece a cada ano, redimensionado e repaginado nos últimos anos. O Largo do Centro Cultural Adão Ortiz Houyeck foi o cenário ideal para que houvesse diálogo entre diferentes segmentos da cultura.
Desde as escolas de Ensino Fundamental até as universidades, todos ocuparam espaços, apresentaram projetos e puderam debater sobre o prisma proposto pela Feira: “articulando ações para uma para uma cidade leitora”. Somaram-se também grupos como a Associação Nerd de Alegrete, com intensa programação; o LEO Clube Ibirapuitã, atuando no apoio ao Centro Cultural, as escolas de ballet Ballerina, Danniele Winits e Coppélia e a Escola de Música Oficina do Som.
“Trabalhando em conjunto, contando com parceiros compromissados, chamando as entidades para apresentar a sua produção e contribuir na programação se faz uma feira de qualidade. Parabéns a todos nós”, afirma o prefeito Erasmo Silva.

PROGRAMAÇÃO - entre os palestrantes, nomes como Marcos Rolim, abordando os 50 Anos do Golpe Militar; Marcelo Rocha, que falou sobre a releitura dos clássicos; Monique Revillion, mostrando as características do conto; e Fernanda Melchiona, que falou sobre a importância das bibliotecas.
O evento iniciara com o teatro Plantando o 7 e o recital poético de Luiz Coronel, patrono da Feira. E, desde então, forma dias de alegria, cultura e conhecimento. As oficinas, sobre diversas temáticas, ocorriam de forma simultânea a três palcos: o palco principal, o palco B e o auditório do Centro Cultural.
As artes plásticas tiveram destaque. Além da Mostra Cidade dos Livros Livres de Artes Visuais, promovida pelo escritor homenageado desta edição, Alexandre Alves, uma Mostra de Fotografias de Mario Quintana, promovida pelo Museu Mario Quintana, da Urcamp, enfeitou uma das bibliotecas do Centro Cultural. Somaram-se a elas o Projeto Interferência, promovido pelo Museu de Arte e patrocinado pela Fundação Educacional, quando artistas da Associação dos Artistas Plásticos de Alegrete criaram em meio ao grande público que prestigiou o evento.
Música na feira teve um grande sucesso

Na noite de sábado, o emocionante espetáculo Flor do Pessegueiro, de Tulio Urach, que reuniu música, dança, artes circenses e artes plásticas no mesmo espaço cênico. O público aplaudiu entusiasmado. E no domingo, encerrando com chave de ouro, o espetáculo Extraordinárias Diferenças, Sutis Igualdades, do grupo De Pernas pro Ar, de Canoas.
A vice-prefeita de Alegrete, Preta Mulazzani encerrou o evento, destacando a parceria com o SESC na organização, a participação das universidades e das escolas, e saudou carinhosamente cada membro da equipe que planejou e executou esta linda Feira do Livro.

NÚMEROS - os dados levantados pelo Centro Cultural demonstram o crescimento da Feira do Livro do Alegrete. Se em 2013 cerca de 15 mil visitantes freqüentaram lançamentos, palestras, shows, apresentações artísticas, oficinas e estandes, em 2014 o número estimado foi de 22 mil pessoas nos seis dias de evento. A venda de livros também teve aumento significativo: 65% a mais do que em 2013. O número de lançamentos de obras passou de nove para 14 e os livreiros instalados chegaram a 19, dois a mais do que no ano anterior.

36ª FEIRA DO LIVRO - o planejamento para a próxima edição já começou. Segundo o secretário de educação e cultura, Jorge Sitó, em 2015 o evento deve ganhar uma área de convivência com praça de alimentação. Existe também a proposta da realização de uma conferência municipal de incentivo á leitura. “São todas ideias preliminares, que devem ser tratadas intersetorialmente com a comissão organizadora nos próximos meses”, afirma.