Palavras Soltas

Cecília de Assis Brasil Petrarca Figueiredo
Colunista do site

Não sou homossexual, não sou prostituta, não sou presidiária, não sou bandida, não sou política, não sou índia, não sou negra, não sou deficiente, não sou especial, não sou idosa, não sou menor de idade, não tenho filhos, não sou indigente e portanto não tenho bolsas e/ou vales tudo. Não discrimino nenhum destes, mas que não me discriminem também. Sou gente, sou brasileira e sou humana, portanto eu também quero ser respeitada, ser amparada, ser protegida e principalmente quero ter espaço e apoio para ser como sou e não apenas ser obrigada a aceitar os outros como eles são. Não quero julgar ninguém, mas também não aceito ser considerada errada por ser, sob minha ótica, normal; e quero que os tais de DIREITOS HUMANOS não me condenem por eu não ser infratora, criminosa, afro, indígena ou quaisquer outros argumentos que usam para discriminar os que não são "diferentes" ...
Gostaria que os cidadãos de bem deste país não se sentissem tão desprezados ao ponto de chegarem à conclusão que é melhor ser do mal do que do bem, pois ao que tudo indica os ANORMAIS são os que não se sentem à vontade para matar, roubar, espancar, explorar o NOSSO dinheiro, se aproveitar de uma cor de pele que repudiam, de problemas físicos ou mentais que até então escondiam ou se envergonhavam e que ora são pré requisito para obterem vantagens acima de todos nós que ainda buscamos os caminhos da verdade, da honra e da justiça...
Em sendo assim, começo a acreditar que o nosso país está a incentivar o crime, a ociosidade, o aumento da natalidade e aos desmandos de toda ordem. Será que querem exterminar ou aniquilar a população pensante, que produz e sabe diferenciar o joio do trigo? 
É doloroso perceber que o joio é a maioria e portanto são estes que elegem, por esta razão estão sendo favorecidos e privilegiados e exatamente por isso, não querem e nem se interessam em saber os motivos de tantos benefícios. Mas quando se tornarem escravos, haverão de se arrepender...
Acabarão os bons por desejarem abandonar a nossa pátria, antes que sejamos todos torturados por não compactuarmos com tanta barbaridade...
Para onde caminha o Brasil me pergunto eu entre revoltada e penalizada, não sei, não sei... mas para o futuro certamente não é...