Cadastro da população em sete bairros oficializa o início das atividades do ESF em São Gabriel

A primeira etapa do Programa Estratégia Saúde da Família (ESF) já está em execução. Desde segunda-feira, 21,agentes comunitários de saúde estão fazendo o levantamento de dados e preenchimento de ficha cadastral em sete bairros e no Residencial Antônio Trilha. O trabalho está sendo realizado nas comunidades do Gabrielense, Santa Regina, Santa Isabel, Honório, Dr. Dácio, Bela Vista e Élbio Vargas. Este último é onde está localizada a base do programa. De acordo com o prefeito de São Gabriel, Roque Montagner, a Unidade Nosso Sonho, situada no Bairro Élbio Vargas, foi remodelada e estruturada para servir de núcleo para o programa.
O cadastramento é feito através de visitas domiciliares. Segundo o secretário da Saúde, Daniel Ferrony, é importante observar que os agentes estão uniformizados e identificados com crachás. "Não existem motivos para a população se preocupar. Assim que houver a identificação do agente, o cidadão deve sim fornecer todas as informações necessárias para o cadastro da família no programa", explicou.
Com os dados, os médicos cubanos passam a ter noção da realidade clínica de 5.294 gabrielenses e podem oferecer um atendimento de qualidade e eficiência à população. Os profissionais Yudaimi Arias e Jorge Chavez chefiarão as duas primeiras equipes de ESF no Município. Arias vai comandar uma equipe com seis agentes com foco direcionado a um público de 2.327 pessoas. O outro médico vai trabalhar com sete agentes direcionados a um grupo de 2.967 pessoas.
Os agentes estão visitando os domicílios de segunda a sexta-feira, entre 8h e 17h30min. Nas residências em que não há ninguém no horário programado é deixado um comunicado informando da visita e que o mesmo retornará em outro momento. Quando necessário o retorno pode ser fora do horário comercial, informou a Secretaria Municipal de Saúde.
MAPEAMENTO - Nos finais de semana a equipe de agentes de saúde de combate a dengue estão realizando levantamento de dados nos demais bairros da cidade para implantação do Programa nas demais Unidades Básicas de Saúde. O objetivo é realizar o mapeamento da população. Os agentes chegam no domicilio se identificam e fazem as seguintes perguntas: Quantos moradores residem naquele domicilio? Idade? Quais possuem doenças crônicas, deficiência e se usam medicamento controlado?