Textículos do Mário Mércio

Mário Mércio
Escritor e colunista do site

DAS TRÊS, UMA. Escolha. 
Ou é o diabo, ou falta de sorte(azar), ou despreparo. 
O que se ouve por todos os lados é gente criticando o diabo, ou um espírito maligno qualquer, por acontecimentos corriqueiros. O psicanalista Jackson C.Buonocore é enfático: as pessoas andam com uma legião de demônios. Basta você tossir, cair, esquecer ou o que valha, e já acusam o demo. 
Na caixa postal em casa, recebo panfletos de todo tipo que ensinam a afastar o demo. Igrejas se vangloriam de libertar as pessoas do mal, afastando o diabo do corpo e da casa delas. Ajudam na procura de emprego, doenças, drogas, macumbas e um monte de idiotices. 
Afinal, adverte o psicanalista estamos em que Século? Até parece que não saímos da Era Medieval. Na Idade Média os demônios eram uma constante. Responsabilizados por tudo e isso atrasou a humanidade milênios. Se uma pessoa inventava algo diferente, por exemplo: o telefone, a TV, era bruxo e tinha que morrer queimado. Demônios eram uma força onipresente e um culpado viável para todos os aspectos ruins da natureza humana—um amplo instrumento teológico de controle social da Igreja Medieval. Ainda hoje cristãos são obcecados pelo diabo e até não se permitem falar nesse nome maldito, que são os culpados por todas as adversidades da vida. Até nos púlpitos joga-se toda a culpa no satã pelos males humanos e rituais são feitos para exorcizar o diabo. Os poderes dos ungidos são destacados pela coragem de enfrentar o “coisa-ruim”. Uma verdadeira paranoia coletiva se assiste em algumas igrejas. Pois o príncipe das trevas está metido em todos os azares da vida. Talvez tenha sido por isso que o Brasil perdeu a Copa: coisa do diabo!
Quem leu o livro: “O mal estar na civilização” de Freud, viu o que as religiões fizeram pela humanidade: nada. Só delírios em massa. Desnecessário dizer, que quem vive ou compartilha de um delírio, logico que nunca o reconhecerá como tal. E culpar o diabo por tudo é muito fácil e em famílias esclarecidas, nem criança acredita mais nisso.
Mas algumas igrejas oferecem serviços espirituais de todos os tipos para combater os sortilégios de demônio. Seria muito melhor que ensinassem seus fiéis a combater e enfrentar o mundo real com seus problemas, desafios e desencantos.