Adolescente que decepou mão do colega diz que agiu em legítima defesa

O adolescente de 14 anos que decepou a mão de um colega, de 16 anos, em São Gabriel, no último sábado, prestou depoimento na manhã desta segunda-feira. Conforme o delegado Jader Duarte, que investiga o caso, o agressor afirmou que agiu em legítima defesa.
– Ele chegou a dizer que ficou uns dois meses sem ir na escola por temer a vítima. Alegou que tinha medo dele e, por isso, se armou com a faca. Um amigo do agressor estava apanhando e ele foi intervir. Mas no momento em que ele foi até a vítima, não há como alegar legítima defesa – explica o delegado.
Ainda estão sendo ouvidas testemunhas do caso. Não se sabe se, no momento da agressão, havia um professor acompanhando o grupo, que estava na escola Polivalente para o ensaio da banda marcial da instituição, da qual vítima e agressor fazem parte.
A polícia trata o caso como lesão corporal gravíssima. Uma vez identificado o agressor, o delegado enviará a denúncia ao Ministério Público. Na tarde desta terça-feira, a vítima deve ser ouvida pela polícia no hospital Santa Casa, onde está internada.
Cerca de 40 alunos fizeram uma caminhada pelas principais ruas da cidade, na tarde de segunda-feira, pedindo mais segurança na escola.
Segundo a assessoria jurídica da 19ª Coordenadoria Regional de Educação (19ª CRE), os ensaios da banda fazem parte do programa Escola Aberta, realizado aos sábados na escola. Contudo, a coordenadoria não afirmou se o crime aconteceu no interior da instituição de ensino nem se vítima e agressor são estudantes da escola. A direção da escola não se pronunciou sobre o fato.

Fonte: Diário SM