Cerca de 300 casas danificadas após chuva de granizo em Rosário do Sul



Rosário do Sul - A Prefeitura Municipal e suas equipes iniciaram na manhã de sexta-feira, 17, a recuperação das moradias destruídas devida a forte chuva de granizo causada por volta das 2h em Rosário do Sul. A Defesa Civil identificou 300 casas danificadas.
Cerca de 11 mil metros de lona chegaram ao município ontem a tarde para que mais residências sejam auxiliadas pelas 6 equipes que estão em ação no município. Todas as forças vivas, juntamente com a comunidade, 4º RCC, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, estão trabalhando em prol das residências lesadas.

OUTRAS CIDADES - A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil trabalha desde quinta-feira (16), em conjunto com as coordenadorias municipais, para atender às cidades atingidas pelas chuvas e temporais de granizo. De acordo com o major Ben Hur Pereira da Silva, a coordenação estadual atua na distribuição de lonas plásticas e na avaliação dos danos para o socorro às famílias atingidas. A cidade com maiores prejuízos é Eldorado do Sul, na Região Metropolitana, onde foram contabilizadas 700 residências danificadas com 150 desalojados, que se encontram em casas de parentes, amigos ou vizinhos.
Até o momento nenhum município solicitou à Defesa Civil Estadual o decreto de situação de emergência, embora Eldorado do Sul já tenha declarado situação de emergência municipal (decreto nº 6.101, de 16 de outubro de 2014). Ainda de acordo com a Defesa Civil, não há famílias desabrigadas, que necessitem de abrigos temporários organizados pelo poder público. 
Na Região Metropolitana de Porto Alegre, há também danos para as comunidades das ilhas das Flores e da Pintada, na Capital, com cerca de 280 casas danificadas, mas sem registro de desalojados ou desabrigados até o momento. Em Viamão, as chuvas e os ventos causaram o deslocamento de um grande volume de terra no bairro Aparecida. Pelo menos outros nove municípios, de diferentes regiões do Estado, enfrentam problemas com os estragos trazidos pelos temporais.
Na Região Sul, Camaquã tem 200 residências atingidas, outras 50 casas em Cerro Grande do Sul, e em Pedras Altas fortes ventos provocaram parte do destelhamento de duas escolas e seis residências. Em Maximiliano de Almeida, no Norte, 150 casas foram destelhadas, enquanto em Passo Fundo há o registro de 100 residências danificadas, e ainda outras 20 casas no município de Estação. No Litoral, são 100 casas atingidas em Quintão. A área da reserva indígena localizada em Gentil também foi prejudicada pelos temporais.
O Centro de Operações da Defesa Civil segue monitorando o sistema de instabilidade que avança pelo Estado provocando fortes ventos, chuvas intensas e queda de granizo. Outro boletim com a atualização do número de casas e famílias atingidas será divulgado até o final da tarde desta sexta-feira (17). A previsão é que até domingo novas precipitações devem ocorrer.