Lideranças do PDT local avaliam declarações do Presidente Carlos Lupi que ameaça punir quem apoiar Aécio e tiver mandato

Ricardo Coirolo e Vagner Aloy falaram sobre as declarações do Presidente Lupi
Na última sexta-feira, 10, uma notícia publicada no jornal Estadão está dando o que falar, visto que em um comunicado oficial a todos os filiados do PDT, o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, estaria tentando conter dentro de sua legenda o movimento de adesão à campanha do tucano Aécio Neves no segundo turno. Menos de uma semana depois de ter conquistado o direito de decidir a eleição contra a presidente Dilma Rousseff (PT), Aécio já atraiu o apoio de vários líderes do PDT para o seu lado. O problema é que o comando nacional do partido está coligado oficialmente à chapa presidencial petista e Lupi defende que a decisão tomada na convenção nacional, realizada 10 de junho, em Brasília, seja seguida à risca.
Os principais alvos seriam o governador eleito do Mato Grosso, Pedro Taques, o senador Cristovam Buarque (DF), e o senador eleito José Antônio Reguffe (DF), que possuem prestígio político para ampliar a votação de Aécio.
Na nota, assinada por Lupi, é lembrado que “cabe à Convenção Nacional, e só a ela, decidir soberanamente sobre assuntos políticos, estabelecendo diretrizes para todo o Partido”. E avisa dos riscos do descumprimento dessa norma, citando uma resolução interna do partido que “considera fato de extrema gravidade detentores de mandatos do PDT fazerem propaganda para candidatos que não sejam os indicados pelo partido, desobedecendo a deliberação dos convencionais”.
Se a ameaça for cumprida pelo comando do PDT, aqueles que desobedecerem à instrução correm o risco até de serem expulsos da legenda. 
E de posse dessa informação, a equipe do Coluna Ponto de Vista manteve contato com algumas lideranças do partido no âmbito local.
A primeira liderança a se manifestar foi o Presidente do PDT local, Ricardo Coirolo. Coirolo enfatizou o apoio do partido as candidaturas de Sartori e Aécio Neves e que, inclusive, foi encaminhada a executiva estadual uma correspondência informando a posição do partido em São Gabriel. Na ocasião, a estadual manteve uma posição de neutralidade neste segundo turno.
"Nós entendemos o momento que o Estado e o Brasil vivem é extremamente grave e a continuidade faz com que se corra muito risco e entendemos que a proposta do Sartori e do Aécio são as melhores. Eles que nos punam e nos expulsem então", declarou.
A nossa reportagem também conversou com um dos pedetistas que atualmente possui mandato, o vereador Vagner Aloy (Maninho) que recentemente concorreu a Deputado Estadual tendo obtido 4.913 votos. Maninho também informa que vai seguir a decisão do diretório municipal. "Vou seguir a decisão de nosso presidente e vamos trabalhar para que as vitórias de Sartori e Aécio se concretizem neste segundo turno", afirmou.
O site também manteve contato com o ex-prefeito Rossano Gonçalves que informou que estava iniciando uma reunião no Sindicato Rural e que, ao término da mesma, manterá contato com a reportagem.