Palavras Soltas

Cecília de Assis Brasil Petrarca Figueiredo
Colunista do blog

Porque a vida é curta, é frágil e passa num piscar de olhos....
Porque tudo é tão efêmero, tão passageiro e tão imenso; tão pequeno, tão grandioso, insignificante, importante e irônica e contraditóriamente sem a mínima importância...
Porque a vida é assim, um tudo e um nada, uma grande interrogação, uma resposta rápida e precisa que vem e que vai sem qualquer explicação...
Porque a vida é um tempo sem tempo, sem lógica, sem noção e sem precisão...
E porque é a vida é nossa, mas não nos pertence. É tudo o que temos e tudo o que podemos perder; é o que controlamos sem o mínimo governo, poder ou determinação de princípio, meio e fim....
E porque a vida é essa incógnita, essa soma indefinida de ganhos e perdas, de alegrias e dores, de encontros e desencontros, de risos e de lágrimas, de tempo que se soma e tempo que se perde, de chegadas e partidas, de saudade, de saudade e de muita saudade....
E porque a vida é tudo e nada, eterna magia, descoberta a cada dia, muito de nada e pouco de tudo, excesso e carência; busca, procura, eterna e insaciável necessidade de ficar e certeza de partir. Perguntas sem respostas, infinito que termina logo ali, na próxima curva, na primeira esquina. Tempo que temos e não mensuramos, não compreendemos e não descobrimos.... 
Vida!!! Vida que vale a pena ser bem vivida sem medos e sem covardias em nome do bom e do belo, pelo bom, pelo dom de estarmos aqui, pelo que sabemos e pelo que desconhecemos, pela cor, pelo sol, pela flor, pela dor, pela felicidade, pela humanidade...
Vida nossa, nossa vida que vale muito a pena ser vivida, para darmos e deixarmos o exemplo de paz para a continuidade da própria vida, pois cedo ou tarde a nossa se vai, mas continuará viva naquilo que fomos...
Vida que foi, que seja vivida, pois sempre vai, seja como for...
Mas sempre fica, dependendo do que se foi....