Polêmica: Néca Bragança critica postura de seu partido e declara: "Desde que derrotei o pupilo de Balbo nunca mais me chamaram para nada"

A sessão desta segunda-feira, 3, realmente foi polêmica. Tanto pela votação do PPA, quanto assuntos mal resolvidos da última quinta-feira, 30, como por exemplo, uma correspondência entregue no horário da sessão pelo Secretário da Comissão Provisória do PSB, Vanderlei Rangel, dizendo que o partido deveria votar contra o PPA, o que deixou Néca irritada. A vereadora se pronunciou e na sequência leu a carta que reproduzimos abaixo:

"Quero lamentar um episódio que aconteceu nesta casa na sessão ordinária de quinta-feira passada. Eu estava chegando na Câmara de Vereadores quando fui surpreendida pelo Sr. Rangel, Secretário da Comissão Provisória do PSB, partido do qual faço parte, que veio até a mim entregar um ofício dizendo que o partido era contra a aprovação do PPA nº 130, orientando que eu deveria votar contra o mesmo.

Porém, o problema aumentou quando fui surpreendida, no momento da leitura das correspondências recebidas por esse poder, com a leitura do ofício enviado para mim, em caráter particular, que também foi entregue pelo Sr. Rangel na Secretaria da Câmara, com o intuito de me expor perante a população que ouvia, ao vivo, a sessão que estava sendo irradiada.

Primeiramente, quero dizer que o PSB errou, e muito, ao enviar esse tipo de correspondência exatamente no horário da sessão, numa tentativa calcada de má fé de querer manobrar com as minhas decisões dentro dessa casa. Além disso, o presidente do partido, ex-prefeito Balbo, sequer teve a coragem e a hombridade de assinar o ofício, deixando que seu secretário o fizesse numa tentativa de não se desgastar com o polêmico assunto do Projeto do PPA.
Depois, errou o Poder Legislativo ao ter permitido a leitura de uma correspondência pessoal minha, sendo que a secretária da casa não tinha protocolado, porque a entrega desse ofício se deu no horário. Me questiono: Se eu tivesse apresentado um trabalho no horário as sessão, o mesmo seria colocado em apreciação? Lógico que não. As normas da câmara falam que os trabalhos precisam ser entregues até as 14 horas, ou seja, em horário de expediente. Desta forma, o fato da correspondência do PSB ter sido lida em sessão, por si só, já me causou grande constrangimento. E mais, me indigno com o fato de ter sido entregue em horário não apropriado e por não constar no registro de protocolo da casa na sexta-feira passada (um dia após seu recebimento). Além disso, mesmo que tivesse outro conteúdo, que fosse pertinente sua leitura e que, no mínimo, obedecesse o trâmite de ser registrado no protocolo, deveria ser lido na próxima sessão, pois o horário de entrega de ofícios já havia acabado.
Sei que essa tribuna é o local adequado para falar esse tipo de assunto, pois aqui é a Casa do Povo e, para ele, devo desempenhar meu mandato sempre dando satisfação do que faço porque fui eleita pela população gabrielense que me confiou a honra de representá-la nesta casa.
Com relação a minha situação como vereadora do PSB, tenho a dizer que desde a minha eleição em 2012, derrotando o candidato pupilo do ex-prefeito Balbo, NUNCA FUI comunicada de nenhum evento da sigla. O último contato que tive com o ex-prefeito e atual presidente do partido foi quando lhe encontrei em um restaurante local e tomei a iniciativa de cumprimentá-lo. A comissão provisória do partido, quando formada, NÃO TEVE A MINHA PARTICIPAÇÃO. Sou a única vereadora do PSB e sequer faço parte da executiva do partido. Sempre houve descaso por parte dos comandantes da sigla nesta cidade, que NUNCA VALORIZAM meu mandato e também NUNCA PROCURARAM CONTATO comigo. Sempre busquei uma relação cordial com o partido, me dispus a disputar até mesmo a eleição do Diretório Municipal que foi cancelada de última hora porque não ia ao encontro da vontade da cúpula. Houveram inúmeras atividades do PSB para as quais NÃO FUI CONVIDADA. 

Cito aqui algumas delas:

1- Aniversário de 50 anos do Presidente Estadual Beto Albuquerque, realizado em 08 de abril de 2013, em Porto Alegre, com a participação de membros do PSB local;

2- Reunião para a formação da nova comissão provisória do partido, realizada em 08 de maio de 2013, no Galeto do Brito. Não fui convidada para a reunião e nem para fazer parte da executiva;

3- Reunião do PSB para receber o Beto Albuquerque, realizada no dia 23 de maio de 2013, na ACAS BM, com a presença de filiados e, inclusive, de um ex-vereador;

4- Reunião da executiva para discutir o futuro do partido, realizada em 30 de maio de 2013;

5- Reunião com as mulheres socialistas de São Gabriel, realizada em 18 de julho de 2013. Sou a única vereadora, sou mulher, sou socialista e não fui convidada;

6- Reunião da executiva com filiados, realizada em 17 de agosto de 2013, com a presença de um ex-vereador;

7- Visita do Dep. Federal Beto Albuquerque na Expofeira de São Gabriel, em 25 de outubro de 2013;

8- Reunião com um ex-vereador e com atuais vereadores de outras siglas, no dia 03/04/2014;

9- Visita do então vice-governador do estado Beto Grill, em 02 de junho de 2014, na sede do partido, da qual nunca fui convidada a conhecer;

10- Oficialização de candidatura do PSB de São Gabriel à Assembléia Legislativa no início de julho de 2014.

Com tudo isso, percebo que o PSB de São Gabriel não é capaz de valorizar seus quadros , não é capaz de valorizar um parlamentar que atua nesta casa em nome da sigla. Sempre respeitei o PSB, familiares meus fazem parte de outra sigla partidária inclusive meu esposo foi candidato a deputado estadual, mas sempre coloquei o partido PSB acima de qualquer assunto relacionado à política, nunca fiz campanha para candidato de outra sigla, nunca sequer adesivei meu carro para outro partido, nunca realizei atos políticos em favor de outras agremiações. Sempre fui fiel ao PSB, mas quero que todos os membros do partido, especialmente da executiva, saibam que NÃO VOTO À CABRESTO. Devo satisfação do meu trabalho para a comunidade que me elegeu e que me fez ser legítima para representar São Gabriel aqui na câmara. Nunca vou desrespeitar a minha sigla e preço, em nome da democracia, que NÃO OUSEM ME DESRESPEITAR, DESAFIAR MINHA ÉTICA PARTIDÁRIA e ME EXPOR A SITUAÇÕES CONSTRANGEDORAS. Tomarei as medidas legais que julgar cabíveis e jamais atuarei dentro desse Poder de forma contrária aos meus valores éticos e morais. Se a cúpula do PSB quer ter uma representação que faça as suas vontades aqui nesta casa, que vote a cabresto e que represente os anseios pessoais dos seus líderes, que tenha capacidade para isso, que comece elegendo alguém, mas que não tente manobrar com quem é legitimamente eleito. Já estou tomando minhas providências legais sobre o assunto e novamente repito: NÃO OUSEM DESAFIAR MINHA ÉTICA PARTIDÁRIA E NÃO DESRESPEITEM VALORES ÉTICOS E MORAIS QUE TRAGO DE BERÇO!
Fica aqui um apelo ao presidente OBRIGADO, que fato como este não se repita, porque entre nós vereadores não podemos exigir respeito do povo que nos elegeu".