Textículos do Mário Mércio

Mário Mércio
Escritor e colunista do site

O PRESENTE
UM BELO DIA, quando o sol já desaparecia para dar lugar à lua que se escondia, um velho amigo bate à minha porta.
Ele começou se abrindo o porquê de sua visita inesperada. Estava preocupado com seu filho único, um belo rapaz de trinta anos, chegando aos trinta e um na próxima semana. Não sabia o que daria de presente ao rapaz, pois ele tinha tudo—foi dizendo:
- Felipe formou-se em informática pela Unisinos fazem 5 anos e nada de um bom emprego e para estágio não quer mais. Ele estava preocupado com aquele guri, já não tanto guri.
Ai contei-lhe uma historinha que também conto a meus netos.
- Era uma vez o dono de um circo que comprou um belo filhote de leão. Desde muito cedo domesticou o leão e o alimentou com carne todos os dias, cada vez mais. O bicho só dormia e comia e quando aprendia alguma coisa era compensando com uma dose extra.
Certa ocasião uma lei federal foi sancionada e os bichos foram proibidos de trabalharem em circo e o leão ficou sem trabalho e só dando despesa e já era adulto, queria até uma leoa para ele.
Como não ganhava mais para alimentar aquela fera, o leão de repente ficou sem a carne diária e os prêmios por aprendizagem, presentes e mais presentes. E seu dono, teve de leva-lo para a selva e soltá-lo livre para que procurasse seu alimento.
Ele tinha que conseguir seu alimento ou morrer de fome e de sede.
--E dai?--- perguntou ele... O leão morreu?
--Claro que não, ele saiu atrás de seu alimento, pois só assim enfrentaria a vida dignamente.
Por isso te recomendo amigo—finalizei... Deixe teu filho prover sua vida, lhe ensine a se virar por ele próprio. Você já cumpriu sua missão, educando-o. Corte a mesada, peça que ajude em casa na limpeza e organização e deixe que ele vai conseguir tudo e muito mais, sozinho.

DEIXE-O SER ELE MESMO E NÃO VOCÊ.

Um ano depois soube que Felipe estava trabalhando num banco, por ter passado num concurso e meu amigo veio me agradecer:-- Obrigado pelo presente que deste a ele.