Em dia do "sim", casamento comunitário reuniu 31 casais em evento no Ginásio

Diz o ditado: bem casado é aquele que bem vive. Na teoria, até pode ser, mas na prática, para um grupo de 31 casais de São Gabriel, o dito popular nunca foi suficiente. Pela segunda vez, nesta gestão administrativa, a cidade gaúcha realizou uma espécie de mutirão e organizou, para um mesmo dia, uma cerimônia conjunta que oficializou a união de pessoas que sonhavam legalizar a situação na Justiça, mas que, por algum motivo, ainda não haviam feito.
O Casamento Comunitário é resultado de uma parceria do Governo Municipal com o Poder Judiciário, através de uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Social. A cerimônia aconteceu na noite de sexta-feira (08), na Escola Ginásio São Gabriel. Mais de 300 pessoas lotaram a quadra de esportes adaptada para o evento.
Depois de 30 anos vivendo uma união estável, o trabalhador rural José Ivonir Aires Brandes, de 51 anos, achou que estava na hora da companheira - Gasparina, de 49 anos - trocar o sobrenome Borback por Brandes.
"Somos batizados, somos evangélicos. Aos olhos de Deus, a legalização do nosso matrimônio é uma benção", disse José Ivonir.

Sabrina e Renato Pereira Lima
A certeza de que foram feitos um para o outro fez com que o casal Sabrina e Renato Pereira Lima, ela com 24 e ele com 36 anos, oficializassem no papel o relacionamento que já durava cinco anos.
Quando subiu ao altar para dizer o "sim", o casal foi acompanhado dos filhos Roberto e Rafaela, de 4 e 3 anos. As crianças simbolizam a principal razão da legalização. "Nossos filhos precisam da gente mais unidos ainda. O casamento vai reforçar esta união", disse Sabrina.
O casal é a prova de que é possível progredir em São Gabriel, desde que existam objetivos definidos e profissionais capacitados. "Nos conhecemos em São Miguel das Missões numa feira agropecuária. Viemos para São Gabriel há dois anos, porque aqui teríamos mais oportunidades", explicou Renato.
E deu certo. Em pouco tempo, Renato montou um negócio e hoje é dono de uma pequena empresa que atua na área da construção civil.
"O casamento era o que faltava. Nos damos bem. Gostamos um do outro, era natural que oficializássemos a nossa união", argumentou.
Da cidade para o campo. Vindos de Caxias do Sul, os dois filhos da família Sartori resolveram fazer de São Gabriel um novo lar e legalizar o relacionamento com as companheiras em chão gabrielense.
Foram necessários dois anos embaixo de barracas de lonas pretas para conseguirem realizar o sonho de terem um pedaço terra.
Quando tiveram os nomes confirmados entre os pequenos produtores do Assentamento Cristo Rei, na Região de Batovi, interior de São Gabriel, a família Sartori achou que tinha o que precisava para conquistar os objetivos.
"Já tínhamos economizado (no banco) dinheiro para comprar maquinário. Hoje, plantamos soja", disse Lucas Sartori, de 26 anos.
Ele, e o irmão, Tiago, de 25 anos, moravam em Caxias e foram contemplados com lotes durante a última distribuição feita pelo INCRA.

Camila e Tiago
Na Serra conheceram Taiane e Camila. Acostumadas com a vida na cidade, elas tiveram que se adaptar a nova realidade, mas mesmo com as dificuldades, o relacionamento dos casais fortaleceu. Hoje, Tiago e Camila tem um filho de 3 anos e Lucas e Taiane um casal, de 4 e 3 anos.
"O casamento é uma forma de oficializar esta união que deu certo. Nos gostamos muito e os nossos filhos precisam da legalização", avaliou Lucas.
Em sua primeira edição, o Casamento Comunitário teve ainda a presença do Deputado Estadual Jeferson Fernandes, que representou a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, e a participação da Orquestra Sopro Divino da Igreja Assembleia de Deus.
De acordo com o secretário de Desenvolvimento Social, Cléber Giovane Silveira, o objetivo do evento é justamente o de proporcionar às famílias a oficialização de uma união independente de quanto tempo ela exista. "É assumir junto à comunidade o compromisso de valorização dos lares e dos filhos dessas pessoas, assegurando a esses casais direito de estarem casados no papel".
O prefeito Roque Montagner parabenizou os casais e destacou a importância da valorização da união familiar.