Secretarias Municipais formam parcerias para limpeza e conservação do Rio Vacacaí

Com o objetivo de buscar soluções para combater a degradação do Rio Vacacaí, um grupo de voluntários, em parceria com instituições governamentais, entidades comunitárias e empresas da cidade iniciou na tarde de terça-feira (19) a organização de uma comissão pró Vacacaí. A ideia é unir representantes das principais entidades para juntos deliberarem ações como limpeza e sinalização de pontos considerados críticos em toda a zona ribeirinha da cidade.
A reunião, realizada na tarde de ontem, no salão de atos do Sindilojas, reuniu representações do Exército Brasileiro, Prefeitura Municipal, Movimento Comunitário, empresas e ainda a direção da São Gabriel Saneamento. Esta última é responsável pela concessão dos serviços de água e esgoto da cidade e, por isso, é considerada uma das parceiras vitais para o desenvolvimento do projeto.
A mobilização, organizada pelas Secretarias de Serviços Urbanos e de Indústria e Comércio, teve como pauta principal a coleta seletiva instituída em São Gabriel este ano e ainda a multiplicação de ações de conscientização da população com cuidados visando manter o Rio Vacacaí limpo.
O secretário de Indústria e Comércio, Aljaci Brito, defende inicialmente um trabalho de conscientização da população e, somente numa segunda fase, se a ação de reeducação da população não obtiver êxito, implantarem-se medidas mais drásticas, como notificações e autuações aos responsáveis pelos crimes ambientais.
Parte deste trabalho cultural – de contato direto com a população, na prática – será feito por Agentes Comunitários de Saúde através do Programa Estratégia Saúde da Família. A proposta é proliferar a ideia na comunidade.
Uma data para a realização de um mutirão de limpeza do Rio Vacacaí ainda será anunciada. Mas, embora a saúde do rio seja a prioridade, na visão da maioria dos integrantes do projeto, cuidados com a cidade deverão vir em primeira mão se a população tem em mente (no ponto final) ver o Vacacaí novamente saudável.
Hoje, um dos males que mais afeta o rio é o esgoto que chega de forma in natura ao Vacacaí. Isso acontece porque a maioria das residências joga o material em sangas ou valas que acabam sempre desaguando no rio.
Conforme o Encarregado Administrativo da São Gabriel Saneamento, Hugo Barros Silva, a questão do esgoto não vai ser problema para o rio em cerca de três anos. A empresa anuncia que, até 2017, 60% do esgoto será tratado e este índice ficará entre 90 e 95% até 2020.
“Este trabalho que está sendo feito hoje é muito importante. Vejam bem. Nos próximos anos, o único problema do rio será o lixo. Portanto, se evitarmos que isso ocorra hoje, no futuro São Gabriel terá um rio que será motivo de exemplo para o Estado”, comentou.

MEDIDAS QUE SERÃO ESTUDADAS
O secretário Brito admitiu que a Prefeitura Municipal deverá instalar junto ao antigo aterro sanitário um local de depósito para materiais recicláveis.
O projeto prevê a disponibilização de um fone 0800 para uso da população que não tem condições de encaminhar o material para o depósito. Com isso, a Prefeitura Municipal quer ver se consegue evitar que cidadãos continuem se desfazendo do lixo (sofás, televisores e outros eletrodomésticos) em áreas proibidas, como sangas ou, até mesmo, no Rio Vacacaí.
Outra ação será a colocação de placas indicando proibição e alertando para possíveis sanções. Este tipo de sinalização será distribuída por vários pontos da cidade e por toda a área ribeirinha.