Rossano se manifesta e declara: "A decisão da justiça não nos impede de concorrer"

"Os recursos utilizados foram para o
bem do serviço público e não me arrependo"
A condenação pela Justiça Federal do ex-prefeito de São Gabriel Rossano Dotto Gonçalves (PDT), na última semana, por improbidade administrativa relativa ao mandato de 2009 a 2012 segue dando o que falar.
A reportagem do Coluna Ponto de Vista publica aqui a versão de Rossano Gonçalves sobre o fato.
Rossano disse via facebook que no ano de 2012 determinou a utilização de recursos de contas vinculadas para pagamento da folha do funcionalismo. 
"Uma ação foi movida contra mim e a decisão de primeira instância proferiu um julgamento contrário, mesmo que a nossa justificativa tenha sido considerada pelo próprio juiz. Ingressarei na semana que vem (esta semana) com embargos a essa decisão. Os recursos utilizados foram para o bem do serviço público e não me arrependo. Porém, cabe esclarecer que a decisão da justiça não nos impede de concorrer em futuras eleições, pois o processo tem etapas e deverá levar alguns anos para provarmos que não afrontamos os preceitos legais. Estou muito tranquilo, pois não estou sendo processado como um grande número de petistas que roubaram dos brasileiros. E para a "petezada" daqui que tem agido de forma covarde, aviso: cuidem-se, pois na justiça e no TCE já existe muita coisa que quando vier a conhecimento público haverá de mostrar o que de grave existe na atual administração. E, por fim, deverão nos próximos dias terem que dar muitas explicações, principalmente no que diz respeito a uma auditoria que está sendo feita numa instituição de saúde", disse Gonçalves.
Em entrevista ao jornal Zero Hora neste domingo, 12, Rossano disse ainda que, para que se caracterizasse ato de improbidade administrativa, seria necessária a presença de dolo ou má-fé, o que não aconteceu.
"Não usei recursos em proveito próprio nem de ninguém. Na época, a Justiça tinha bloqueado recursos da prefeitura para pagar precatórios, então a minha única alternativa foi recorrer à verba federal para pagar uma folha de salários, inclusive de servidores da educação e da saúde", afirmou.
Rossano disse que vai entrar com embargos declaratórios contra a decisão. Se não for suficiente, recorrerá ao Tribunal Regional Federal.