Sábado é Dia de Vacinação, todas as unidades estarão abertas para o dia ''D" da campanha

As campanhas nacionais de vacinação contra a Poliomielite e de multivacinação para atualização de caderneta se iniciam neste sábado (15/08). O público-alvo são as crianças menores de cinco anos, destacando-se que para a pólio a idade é a partir dos seis meses. Ao todo, mais de 600 mil crianças fazem parte dessa faixa etária. A estratégia seguirá até o dia 31 e estará disponível nas cerca de 1,8 mil unidades básicas de saúde do estado. A recomendação da Secretaria da Saúde (SES) é para que os pais ou responsáveis não esqueçam de levar junto a caderneta de vacinação para que seja avaliada a situação vacinal da crianças.
Em São Gabriel, de acordo com o Setor de Imunizações, o Dia D, neste sábado, terá todas as Unidades Básicas de Saúde abertas em horário comercial: Núcleo Municipal de Vigilância em Saúde (em frente a Santa Casa), UBS CAIC, UBS PAM, UBS Zona Oeste, UBS Nosso Sonho, UBS Bom Fim, UBS Independencia, UBS Esplanada e Secretaria Municipal de Saude (Brandão Junior). De 17 a 31 de agosto, todas as unidades de saúde estarão vacinando, inclusive UBS Santa Clara, no horário de funcionamento da sala de vacinação.
O Brasil está livre da poliomielite - ou paralisia infantil - há 26 anos. Mesmo assim, as campanhas de vacinação são importantes para evitar a reintrodução do vírus no país, já que ele ainda circula em parte da África e da Ásia. Durante a campanha, as crianças receberão a vacina oral poliomielite (VOP), também conhecida como gotinha, ou em forma injetável caso esteja com as doses da rotina em atraso (previstas para os dois e quatro meses).
Já na Campanha de Multivacinação para Atualização do Esquema Vacinal deve ser avaliada a situação de cada criança para que, de forma seletiva, proceda-se a atualização da caderneta de vacinação, de acordo com os esquemas preconizados pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI). Nessa ocasião, serão ofertadas todas as 11 vacinas do calendário básico de vacinação da criança visando a diminuir o risco de transmissão das doenças e reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal. Pais e responsáveis devem ser incentivados a levar a caderneta de saúde da criança para uma avaliação criteriosa da situação vacinal.