São Gabriel teve o maior índice de participação na Consulta Popular entre os municípios da região

O COREDE Fronteira Oeste divulgou na terça-feira (25) os números que representam a participação popular no Processo de Consulta Popular 2016. São Gabriel ficou em primeiro lugar, com 8.273 votantes, sendo a grande maioria através da votação manual. Apenas 66 votaram pela internet. Em segundo lugar, ficou a cidade de Uruguaiana, com 4.933, seguida de Rosário do Sul, com 4.063.
A votação aconteceu na quarta-feira (19). Conforme a Presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento de São Gabriel, secretária de Relações e Gestão Comunitária Tani Vieira, a mobilização da comunidade é resultado de um trabalho organizado de divulgação do Processo de Mobilização de todos os órgãos, entidades e comunidade envolvidas fizeram a diferença. “A comunidade de São Gabriel sabe da importância da Consulta Popular e tem participado ativamente”, comentou.
A população pode votar em quatro demandas que beneficiarão São Gabriel com recursos nas áreas da Saúde, Educação e Agricultura. Na região, Educação foi eleita prioridade, com Aquisição de Equipamentos e Mobiliário para as escolas de 12 municípios da região, no valor de R$ 1.246.463,33. A área de Saúde vem em segundo lugar com Veículos/Equipamentos para os municípios e Equipamentos/Reformas para os hospitais, visando um montante de R$ 1.246.463,33. Na sequência foram eleitas: Apoio a Cadeia Produtiva do Leite - Agricultura, valor: R$ 623.231,50; e Feira Livre Estruturada - SDR, Valor: R$ 623.231,50.
Em São Gabriel, as urnas foram instaladas em diversos pontos da cidade, entre eles: no hall de entrada da Prefeitura Municipal, Santa Casa de Caridade, Secretarias da Saúde e da Agricultura, no Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) da Prefeitura, Escola Estadual XV de Novembro e Calçadão. A comunidade também pode votar pela internet acessando o site www.consultapopular.rs.gov.br.
Na Participação Popular Cidadã (PPC) deste ano, o governo do Estado está destinando R$ 60 milhões para a Consulta Popular no Orçamento de 2016.