AES Sul premia os vencedores da seleção Mobilização para uma escola sustentável

A AES Sul realizou na tarde desta segunda-feira (14) a premiação da seleção “Mobilização para uma escola sustentável”, atividade de seu projeto de educação para a sustentabilidade AES Sul na Comunidade – Educar para Transformar. Durante o ano de 2015, escolas públicas de toda a área de concessão da empresa foram convidadas a desenvolver projetos sustentáveis para serem aplicados nas instituições de ensino, a partir da vivência na iniciativa educacional itinerante.
A Escola Municipal de Ensino Fundamental Nicolau Fridolino Kunrath, do município de Ivoti, e o CEMEA – Centro Municipal de Educação Ambiental Nestor Weiler, do município de Campo Bom, ambos do Vale dos Sinos, foram os vencedores da seleção e receberam um recurso financeiro no valor de R$ 10 mil cada, para que seja aplicado na melhoria e continuidade dos projetos apresentados. O prêmio foi entregue aos diretores das escolas durante cerimônia na sede da AES Sul, em São Leopoldo. “Foi com imensa alegria que recebemos os diversos trabalhos que vem ao encontro dos objetivos do projeto AES Sul na Comunidade – Educar para Transformar. Esperamos que o prêmio venha a contribuir para a continuidade das iniciativas de educação ambiental desenvolvidas nas escolas”, destacou a analista de Comunicação da AES Sul, Carine Farias.
Intitulado “Dando um destino certo”, o projeto desenvolvido pela EMEF Nicolau Fridolino Kunrath, de Ivoti, teve início nas aulas de empreendedorismo rural, quando os alunos iniciaram os questionamentos a respeito da coleta seletiva dos materiais que iam para o aterro sanitário e que poderiam ser separados pelas famílias. A partir de então, ficou a pergunta: o que podemos fazer para reverter isso? E assim a escola iniciou um trabalho de coleta de resíduos envolvendo os alunos e suas famílias. Hoje, os resíduos são vendidos e o dinheiro é revertido em benefício aos estudantes. A aplicação é decidida por meio de assembleias. Desta forma, se pratica a sustentabilidade nas relações, no meio ambiente e na economia.
Já o projeto “Protótipo de estufa ecológica na desidratação das plantas bioativas”, desenvolvido pelo CEMEA – Centro Municipal de Educação Ambiental Nestor Weiler, de Campo Bom, nasceu da curiosidade dos estudantes e veio ao encontro de um dos eixos temáticos do projeto AES Sul na Comunidade – Educar para Transformar: a eficiência energética. Minimizar o consumo de energia elétrica utilizando para isso outra matriz energética, a energia solar, foi o mote da proposta, cujos objetivos mostram a preocupação com a redução no consumo mensal de energia elétrica, a pesquisa sobre a desidratação de plantas bioativas, a verificação do processo e a mobilização dos alunos para a construção dos protótipos. Como resultado final, as plantas desidratadas continuarão sendo comercializadas na comunidade que, agora, além de chás e temperos, terá acesso também à tecnologia desenvolvida pelos estudantes. Um exemplo e uma inspiração para o desenvolvimento de novas tecnologias que priorizam o equilíbrio da vida no planeta.
A solenidade de entrega do prêmio marcou também o encerramento do segundo ciclo do projeto AES Sul na Comunidade – Educar para Transformar, realizado no período 2014/2015. O projeto itinerante leva a temática da sustentabilidade a alunos e professores da rede pública de ensino e às comunidades da área de concessão da empresa, por meio de atividades lúdicas e interativas, como espetáculo teatral, experimentos científicos, jogos, dinâmicas, palestra e oficinas multidisciplinares, além da distribuição de materiais pedagógicos. Mais de 204 mil estudantes e educadores participaram das atividades de educação ambiental promovidas pelo Programa de Eficiência Energética da AES Sul, desde o primeiro ciclo, desenvolvido em 2012. O terceiro ciclo da iniciativa será realizado a partir de 2016.
Sobre o Programa de Eficiência Energética – A AES Sul desenvolve desde 1999 seu Programa de Eficiência Energética, de acordo com as regulamentações do Programa de Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), a fim de reduzir a demanda do sistema elétrico em sua área de concessão. Dentre eles, o projeto que atendeu as comunidades de baixo poder aquisitivo, denominado “Transformação de Consumidores em Clientes”, com a substituição de lâmpadas, chuveiros e geladeiras por equipamentos mais eficientes, e a instalação de coletores solares; o “Recicle Mais, Pague Menos”, que objetiva a troca de resíduos recicláveis por desconto na conta de energia, sendo a primeira distribuidora do sul do país a implementar este modelo de projeto; e, também, o AES Sul na Comunidade - Educar para Transformar, que envolve ações nas escolas, utilizando ferramentas lúdicas na abordagem dos conceitos de sustentabilidade.
Sobre a AES Sul - Distribui energia elétrica para 118 municípios das regiões Metropolitana, Vale do Rio Pardo, Vale do Taquari, Central e Fronteira Oeste. São mais de 1,2 milhões de clientes, cerca de quatro milhões de pessoas. A área de concessão atendida pela empresa abrange 99.512 km². Para atender a essa região com segurança, qualidade e confiabilidade, a AES Sul dispõe de uma força de trabalho de mais de 3.500 pessoas, investe na manutenção, modernização e expansão do sistema elétrico. Tem como principal objetivo a responsabilidade socioambiental e o compromisso com o cliente, oferecendo um serviço cada vez melhor.