Perdas com chuvas de dezembro ultrapassam R$ 169 milhões em São Gabriel

A quebra na produção agrícola e a perda de produtividade das diversas cadeias de pecuária em função das chuvas deste mês de dezembro já causam à economia de São Gabriel, um prejuízo superior a R$ 169 milhões. A avaliação técnica foi realizada na manhã deste dia29 de dezembro, terça-feira, em encontro no Sindicato Rural de São Gabriel que reuniu entidades de produtores rurais e órgãos como prefeitura municipal, Irga e Emater. 
Segundo as medições pluviométricas da Fepagro, o mês de dezembro registra, até aqui, um acumulado de 357,4 milímetros somente na zona urbana, tendo ultrapassado os 450 milímetros em diversas das localidades mais afetadas do interior. Lavouras de arroz e soja tiveram áreas inundadas e quebra de produção, e na pecuária, o descontrole no manejo do gado também acarreta prejuízos. Outras áreas do agronegócio local, como a ovinocultura, apicultura e fruticultura também foram afetadas, além dos prejuízos na infra-estrutura viária municipal, com queda de pontilhões e riscos ao escoamento da próxima safra. 
O presidente do Sindicato Rural e vice-presidente da Farsul, Tarso Teixeira, ressalta que a entidade irá pedir ao prefeito de São Gabriel, Roque Montagner (PT) a decretação de situação de emergência na zona rural do município. Ficou também decidido que uma comissão de produtores rurais irá a Uruguaiana no dia 6 de janeiro, quando está prevista a visita do Ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, para avaliar os danos causados pelas chuvas de dezembro no Rio Grande do Sul. 
ESTIMATIVA DAS PERDAS (dados do Sindicato Rural, Irga e Emater, entre outros)

Arroz: quebra de 15% e 15% de prejuízo na produtividade - R$ 49 milhões e 140 mil

Soja: quebra de 15% e 10% deixados de plantar – R$ 73 milhões

Gado de corte: Desequilíbrio do manejo e descontrole da verminose e carrapato. R$ 25 milhões e 56 mil

Gado de leite: Quebra de 40% na produtividade. R$ 88 mil de prejuízo

Ovinocultura: perda de lã e doença de podridão do casco (foot root). R$ 950 mil.

Apicultura: Quebra de 20% na produção. R$ 360 mil.

Fruticultura: Perdas de 2,5% na produção de melão em pequenas propriedades. 

Olericultura: Falta deluminosidade, quebra de 50%. R% 60 mil

Infra-estrutura viária: Três pontilhões quebrados, danos na malha de estradas. R$ 21 milhões e investimentos para recuperação.

Perdas totais: R$ 169 milhões e 654 mil.