Lixo eletrônico se acumula há seis meses em terreno da prefeitura de São Gabriel

Foto: Leandro Chaves / Arquivo pessoal
Há seis meses, um terreno da prefeitura de São Gabriel, na Fronteira Oeste, tema cúmulo de lixo eletrônico a céu aberto. Devido às chuvas dos últimos dias, há preocupação em relação à formação de focos que possibilitem a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.
Um morador da cidade relatou o problema, que foi confirmado pelo secretário de Serviços Urbanos, Valtemar Ribeiro. De acordo com ele, há cerca de seis meses, a prefeitura passou a fazer a coleta de material eletrônico, já que não havia como fazer o descarte. O material passou a ser levado para o prédio do antigo Engenho São Jorge, que fica na Vila Rocha, no centro da cidade.
O secretário afirma que o local ainda está passando por adequações, de modo que parte do lixo foi depositada na rua. O morador que relatou o problema afirma que o local também atrai baratas e ratos. O secretário afirma que foi colocada, recentemente, uma lona sobre o material, para evitar o acúmulo de água parada. No entanto, a solução não é permanente.
A prefeitura prepara uma licitação para um veículo que faça o transporte do lixo de São Gabriel a Santa Maria, onde é feito o descarte correto. Na semana que vem, a prefeitura afirma que fará a retirada do material que está a céu aberto.

Fonte: Diário de Santa Maria