Preencha seu cadastro e um consultor vai até você

Image and video hosting by TinyPic

Prefeitura requer antiga sede da Urcamp para ampliar ações do Instituto Farroupilha

>>> Se obter êxito, Governo Municipal deverá anunciar novos cursos profissionalizantes para São Gabriel

A Procuradoria Jurídica da Prefeitura de São Gabriel analisa a possibilidade de ingressar na Justiça solicitando a cessão de uso do antigo prédio central da Universidade da Região da Campanha (URCAMP), na Rua Barão do Cambai, no centro da cidade. O local foi desativado em 2010, quando, por decisão da administração da instituição, todas as atividades e cursos foram transferidos para os campus II e III.
O objetivo do Governo Municipal é implantar no local novas instalações do Centro de Referência do Instituto Farroupilha em São Gabriel. No dia 29 de março, dirigentes da Unipampa e do Instituto Farroupilha; comando da Brigada Militar e representantes da Polícia Cicil e entidades de classe discutiram formas de viabilizar a ampliação do projeto. O encontro aconteceu no salão de atos do Palácio Plácido de Castro e foi organizado pelo Gabinete do Prefeito com a participação de todos os titulares das Secretarias Municipais.
Segundo Roque Montagner, a Prefeitura fez um estudo de viabilidade e na revisão de imóveis que estão ociosos, foi encontrado o da antiga sede administrativa da Urcamp, que atualmente está fechado e sem cumprir sua função social.
O prefeito informou que o município locar o imóvel e a assumir a manutenção do prédio, o que resultou inesitora as tratativas de locação. "Encaminhamos um ofício para a Reitoria da Urcamp em Bagé e a Reitora Lia Maria Quintana informou via ofício que a Urcamp de Bagé não tinha mais interesse em continuar ocupando o imóvel (Campus I, em São Gabriel), abrindo mão para que o município caso tenha interesse, viabilizar a locação junto a direção da FESG.
A Reitora do Instituto Federal Farroupilha, Carla Cormelato, garantiu que o único impecilho para a ampliação dos cursos, hoje, é a falta de espaço físico. 
"Não há mais espaço para implantar laboratórios e para agregar mais pessoas para atuarem junto aos estudantes, e que toda e qualquer oferta está vinculada a disponibilização de espaço físico que abrigue as necessidades", argumentou a Reitora.
A cessão do prédio ainda viabilizaria uma parceria entre Prefeitura, Instituto e Unipampa, pois além dos cursos, também passaria a funcionar na nova sede uma Museu Peleontolóico da Universidade Federal.
"O Instituto Farroupilha, de duas unidades saltou para 11, se percebendo uma mudança completa na dinâmica dos municípios que recebem um Campus do Instituto ou da Universidade Federal do Pampa, visto que se investe no município", comentou Carla.
Com uma sede maior e estrutura, até mesmo os estudantes atuais serão beneficiados. "Hoje, são pessoas de 30 a 40 anos que estão lá querendo aprender e que serão beneficiados com a centralização da sede do Instituto. Atualmente, por causa do afastamento do centro, muitos alunos sofrem com a distância que precisam percorrer para participar dos cursos", argumenta a dirigente.

GOVERNO SE DESTACA POR RECUPERAR PRÉDIOS "ABANDONADOS"
Na atual administração, não será a primeira vez que a Prefeitura assume a recuperação de prédios abandonados por entidades ou até mesmo pelo Poder Público no passado. Desde 2013, prédios que estavam sem cumprir uma função social no município passaram a figurar com importância no reforço de ações nas áreas de educação e formação profissional.
Um dos exemplos de sucesso é o antigo prédio do Instituto Palmira Vieira, onde foi inaugurada a Escola de Educação Infantil Nossa Senhora Menina e onde ainda será instalada a nova sede da Secretaria Municipal de Educação. 
Outro exemplo está diretamente relacionado ao Instituto São Gabriel, onde funcionava o Lar das Meninas. No local deveria funcionar um abrigo para menores de idade, mas estava fechado e sem manutenção.
Com a intervenção do Governo Municipal, a Prefeitura transformou o prédio em um Centro Profissionalizante que já oportunizou 900 vagas para qualificação para gabrielenses.