Preencha seu cadastro e um consultor vai até você

Image and video hosting by TinyPic

A polêmica do sódio na água

É de conhecimento universal os benefícios para o ser humano de se consumir água em abundância. Esta é a recomendação mais comum para a hidratação e manutenção vital do corpo. Mas até mesmo com a água é preciso ter cuidado. Poucas pessoas sabem, mas, em comparação com as águas minerais vendidas nos mercados, a água da torneira possui muito menos sódio, elemento associado a uma série de doenças e normalmente consumido como sal de cozinha.
De acordo com uma pesquisa divulgada pela Revista TAE, especializada em águas e efluentes, que analisou 13 marcas comerciais diferentes de água mineral, o teor de sódio entre as marcas pode chegar a 103,6 miligramas por litro. A marca que está no topo da lista pertence a uma famosa marca mundial de refrigerantes e é uma das mais consumidas no Brasil.

ÁGUA MINERAL
Mg de sódio por litro
Crystal
103,6
Bom Preço
74,7
Sarandi
71,0
S. Pelegrino
33,3
São Lourenço
30,17
Água da Pedra
23,02
Floresta
16,0
Schin
15,58
Água do Campo
14,74
Versant
14,59
Itacolomi
11,7
Pureza Vital
9,54
Acqua Panna
6,7
Comparação de teor de sódio entre as marcas. Fonte: Revista TAE
A Nutricionista Camila Santana, que atende em São Gabriel na Academia Performance, orienta às pessoas a, quando optarem por comprar água mineral, ficarem de olho nos rótulos. O sódio deve ser evitado, especialmente, pelos hipertensos, por pessoas com problemas renais e portadores de doenças cardiovasculares.
Camila, recomenda às pessoas que procurem ficar atentas aos limites de consumo diário indicados: “A presença de diversos sais minerais na água muitas vezes é benéfica à saúde do ser humano. Porém, o consumo de sais acima do indicado pode ser prejudicial à saúde. O sódio está presente naturalmente na composição de diversos alimentos e também na água. O consumo excessivo de sódio, por exemplo, pode causar aumento da pressão arterial, por isso o Ministério da Saúde, a Organização Mundial da Saúde (OMS), bem como as Sociedades Brasileiras de Cardiologia, Hipertensão e Nefrologia, recomendam que os indivíduos saudáveis consumam menos que 2.000 mg de sódio por dia”, explica. 
Com regulamentação diferente das minerais, a água tratada e distribuída pela São Gabriel Saneamento vem de um manancial de superfície (Rio Vacacaí). Etiel Pereira, Químico e Responsável Técnico da concessionária, explica que, conforme a origem da água a ser tratada, mudam as características. “Normalmente as águas de fontes, de onde normalmente são coletadas as águas minerais, tendem a carregar mais elementos comuns em solos, dentre eles o sódio. Por este motivo e pela qualidade de tratamento e dos produtos utilizados no processo, é que a água tratada e distribuída pela São Gabriel Saneamento é mais leve e possui praticamente nada de sódio em sua composição”, diz. De acordo com laudos de análises técnicas apresentados, a água tratada em São Gabriel possui, em média, apenas 3,8 miligramas de sódio por litro. 
Etiel afirma ainda que a São Gabriel Saneamento atende a requisitos estabelecidos pelo Ministério da Saúde e que, além do monitoramento realizado ininterruptamente pela empresa, esta sofre constantes fiscalizações da Vigilância Sanitária municipal, estadual e da Agência Reguladora, garantindo a potabilidade da água produzida e entregue nas residências gabrielenses. Os relatórios mensais são disponibilizados no site da concessionária.

DOENÇAS RELACIONADAS AO SÓDIO
O uso do sal, além da cota máxima diária recomendada (5g), pode abrir caminhos para uma série de doenças. As mais conhecidas são:
- Hipertensão arterial
- Doenças cardiovasculares
- Problemas renais