domingo, 25 de fevereiro de 2018

“Happy Hour Cultural” abre o Ano Letivo 2018

Em vez de uma Jornada Pedagógica com intensa reunião de trabalho, palestras e planejamento, um momento de congraçamento e alegria para receber os professores municipais em mais um ano letivo. Ao cair da tarde desta quinta-feira, 22 de fevereiro, o Espaço Garden se tornou um palco para artistas locais homenagearem os professores no seu retorno às salas de aula. Prestigiaram o ato os vereadores André Focaccia (PSD), Márllon Maciel (Progressistas) e Valdomiro Lima (PSDB), e a assessora Viviane Facco representando o vereador Cilon Lisoski (PR) e os secretários municipais Rafael Gonçalves (Gabinete) Ricardo Júnior (Planejamento) e Tita Jobim (Administração). A secretária Juliana Medeiros foi representada pela Coordenadora de Turismo, Valéria Cachapuz. 
O secretário municipal de Educação, vereador Sildo Cabreira, desejou a todos os professores uma jornada produtiva em 2018, e ressaltou que o objetivo do evento era justamente promover um tempo de maravilhamento através da arte. “Nosso carinho, nosso respeito ao professor, que será ao longo deste ano o agente da transformação e talvez fonte de inspiração na vida de crianças e jovens que, através das escolas de nossa rede municipal de ensino, buscam um novo futuro”, assinalou.
O evento abriu com apresentação musical do músico e professor Edjor “Jojô” Borges, diretor de Comunicação Social da Prefeitura Municipal, e o guitarrista Carlos Amoretti. Em seguida, apresentaram-se a jovem cantora Izadora Carvalho Motta e seu professor Rafael Alves; Giovana Vieira e o violonista Marcos Lázaro; Ana Laura Cornel e o músico Felipe Cornel; Amanda Miranda Lauxen e Marlon Artifon; e o pastor Cláudio Moreira, coordenador de divulgação do Gabinete do Prefeito, entoou músicas estilo gospel com o apoio do tecladista Gideão Jacobsen, servidor da Secretaria Municipal de Educação. Os professores também foram homenageados com um audiovisual, com voz de Wagner Hudson e produção de Amanda Hickmann.
A noite também foi abrilhantada com um breve discurso do ator Emiliano Ruschel, que já participou de novelas como “Kubanakán”, da TV Globo, e estava em São Gabriel para exibição de seu filme “Maverick: Caçada no Brasil”, e participar de filmagens da produção “O Bolicho”, continuação do curta “O Fantasma do General”, da Escola de Cinema de São Gabriel, do professor Humberto Petrarca. “Minha mãe era professora, e lembro muito do amor com que minhas professoras me incentivavam, e até compravam materiais pra nos doar, porque nossa família era muito humilde. Se pude participar de filmes nos Estados Unidos, foi porque encontrei professores que me motivaram desde muito pequeno. Vocês, professores, podem dar asas aos sonhos de gente como eu”, assinalou.