sábado, 17 de novembro de 2018

Maninho diz que reposição de médicos com a saída dos cubanos deveria ser instantânea

Quem também se manifestou nas redes sociais sobre o fim dos "Mais Médicos" foi o Presidente do Poder Legislativo, Vagner Aloy Rodrigues (Maninho), do PSDB.
Aloy diz que a questão do momento não é quanto ganha Cuba e sim os milhares de pacientes que ficarão sem os seus atendimentos e tratamentos. Acamados, idosos, crianças e mulheres não terão mais atendimentos e seus tratamentos serão interrompidos e o resultado disso será de que as Prefeituras e os Prontos Socorros arcarão com as consequências. 
"Concordo de que não podemos oxigenar a ditadura, mas creio eu, no meu modesto entendimento, que a reposição de médicos com a saída dos Cubanos deveria ser instantânea, rápida sem burocracia. Quem mais precisa de atendimento, que são os mais pobres, os menos favorecidos é que sofrerão as consequências", declarou.
Maninho destaca ainda que foi o único vereador da oposição na época da implantação do programa em nossa cidade que votou favorável.