BUSCADOR DE NOTÍCIAS:

sexta-feira, 15 de março de 2019

Plenária do CPERS debate Reforma da Previdência

Pedro Moreira disse que reforma coloca em risco os direitos de todos os trabalhadores
Fotos: Marcelo Ribeiro/Especial/Coluna Ponto de Vista
No final da tarde ontem, 14, o 41º Núcleo do CPERS/Sindicato realizou mais uma plenária para associados e a comunidade em geral, com o objetivo de alertar sobre prejuízos que a Reforma da Previdência pode causar aos brasileiros. O evento, que aconteceu na Câmara Municipal de Vereadores, contou com a presença da Presidente Estadual do Sindicato, professora Helenir Aguiar Schurer, além de professores e alunos das escolas estaduais.
Presidente Helenir Aguiar Schurer esteve presente
O presidente do Núcleo, professor Pedro Moacir Moreira, salientou que a Reforma proposta pelo Governo Federal coloca em risco os direitos de todos os trabalhadores. "A reforma, além de colocar em risco nossos direitos, retira integralidade e paridade, além do contribuinte ter que trabalhar mais tempo para poder se aposentar. É como se tu pagasse um carro, e quando está feliz por estar quitando o pagamento, a empresa avisa que tu precisa pagar mais trinta parcelas", disse.

Os esclarecimentos técnicos foram dados pelo assessor jurídico do Sindicato, Dejair Aires, que alertou sobre os prejuízos que podem ser causados. "Essa reforma acima de tudo, é causada para retardar e até mesmo inviabilizar a aposentadoria, se quem requer o benefício não vier a falecer durante o processo", afirmando ainda que o déficit da Previdência é "fraude" e ela tem superávit que desobrigaria a necessidade de realizar esta reforma.
Em todas as plenárias é apresentada uma análise geral sobre as regras previstas na proposta de reforma da previdência. Para a análise de casos individuais, o Sindicato orienta aos seus associados a acompanharem a agenda da assessoria jurídica em seus núcleos.
Acompanhados da assessoria jurídica do Sindicato, os dirigentes alertaram a categoria sobre as consequências da reforma da previdência proposta por Bolsonaro e ressaltaram a importância de discutir a pauta salarial e a fundamental participação de todos professores e funcionários de escola na Assembleia Geral e Popular, que ocorre dia 12 de abril, às 13h30, na Casa do Gaúcho, em Porto Alegre.