PROCURE UMA NOTÍCIA AQUI:

terça-feira, 4 de junho de 2019

Prefeito quer parceria público-privada nas praças da cidade

O combate à violência urbana também se faz através de políticas públicas de inclusão, com espaços públicos de qualidade para a prática desportiva e para utilização pelas famílias de forma sadia, fortalecendo vínculos e promovendo a integração social. Justamente por isso, o prefeito Rossano Gonçalves reuniu-se na manhã desta segunda-feira com os secretários Juliana Medeiros (Turismo), Michele Costa (Jurídico), Ricardo Júnior (Obras) e Valdemir Jobim (Administração), para dar celeridade ao projeto municipal de Parcerias Público-Privadas para obras de melhoria e conservação de praças, logradouros e quadras desportivas do Município, em áreas como as praças Tunuca Silveira (pracinha do Amor), Camilo Mércio (praça do INSS) entre outros.
O objetivo é realizar um novo processo de chamamento público, visto que o realizado anteriormente não teve empresas parceiras. “Serão definidas regras mais simplificadas, que estimulem a adesão da iniciativa privada para realizar as obras e explorar comercialmente os espaços de propaganda, em linha com as melhores práticas de planejamento urbano de muitas cidades no Brasil e no exterior”, ressaltou o Chefe do Executivo. A iniciativa espera promover a disponibilização de espaços públicos mais adequados, com a inclusão das famílias e dos jovens, o que contribui para o combate à criminalidade e violência juvenil, segundo a Organização das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC). “Estimamos terminar todas as etapas para abertura de edital em 60 dias”, ressaltou o secretário Ricardo Júnior.
O prefeito enfatiza que, desde 2017, o Município já pagou R$ 23 milhões em dívidas, R$ 18 milhões em Contribuição Suplementar para a previdência do município, e R$ 3 milhões em precatórios judiciais. "Num ambiente onde não há dinheiro para tudo, e prioridades devem ser definidas, precisamos sim contar com a iniciativa privada, e vamos alinhavar este processo de forma planejada para que as concessões sejam sempre definidas de forma legalmente responsável e democrática, como sempre temos feito”, assinalou Rossano Gonçalves.