Preencha seu cadastro e um consultor vai até você

Image and video hosting by TinyPic

São Gabriel registra mais uma morte por gripe A

A Prefeitura Municipal de São Gabriel confirmou na manhã desta quarta-feira (01) a quinta morte por Gripe A no Município. O resultado da análise foi informado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen), na última terça-feira (31). A vítima é um homem de 46 anos que estava internado no Hospital de Santa Casa de Caridade. Ele faleceu no dia 24 de maio.
A atualização semanal dos casos de dengue, chikungunya, zika e Influenza no Rio Grande do Sul foi revelada na última segunda-feira (30/05). O número de mortes causadas pelo vírus H1N1 já chegam a 71. São 72 óbitos por gripe no total, sendo que um dos tipos não está especificado. No balanço anterior, eram mais de 60.
De acordo com a Secretária Estadual de Saúde, 364 casos de H1N1 foram notificados. O total de notificações de influenza é de 384, ou seja, 20 casos são de outros tipos de gripe.
O secretário estadual da Saúde se diz preocupado com os números e espera que, com o término da campanha de vacinação, o vírus sofra uma queda na circulação.
"O que nos preocupa é que ainda não começou o inverno, e essa quantidade de casos é realmente preocupante. Mais 90% dos grupos prioritários já foi vacinada, e esperamos que haja uma redução menor nessa transmissão de casos de Influenza", disse João Gabbardo.
A Região Metropolitana concentra o maior número de casos confirmados de gripe no estado até o momento (58,8%), seguido do Norte (10,7%) e da Serra (8,8%). O município com o maior número de casos confirmados é Porto Alegre (30,5%).
Após o ano pandêmico em 2009, o H1N1 circulou com maior frequência nos anos 2012 e 2013. Nos dois anos seguintes, o vírus predominante foi o H3N2. Neste ano, novamente, o H1N1 volta a ser o principal agente da sazonalidade.
Na semana passada, a Secretaria Municipal da Saúde de São Gabriel havia confirmado quatro mortes por H1N1: um homem de 71 anos, e três mulheres, de 41, 51 e 68 anos. As quatro estavam internadas no Hospital da cidade. As mortes aconteceram entre 8 e 19 de maio.
O secretário municipal da Saúde de São Gabriel, Daniel Ferrony, disse que é importante procurar o atendimento especializado com antecedência em caso de comprovados os sintomas (veja informações abaixo). “A Secretaria da Saúde tem focado muito no cuidado. As pessoas gripadas tem que ter cuidado na hora de espirrar, não compartilhar talheres… evitar aglomeração e se tiver dores no corpo e febre, deve procurar imediatamente a Unidade Básica de Saúde. Temos médicos atendendo diariamente”, explicou.
Ele explica que é preciso observar dores na garganta ou pelo corpo, principalmente nas articulações, e sintomas gripais acompanhados de febre (acima de 38 graus).

SAIBA DIFERENCIAR:

RESFRIADO – febre rara (baixa a moderada), tosse seca, dor de garganta frequente, dor no corpo (rara e leve), dor de cabeça (rara e leve), dor articular nas juntas (ausente e rara), nariz com secreção transparente, amarelada ou esverdeada e congestão (entupido), o paciente sente-se pouco doente. Os sintomas duram entre 3 e 5 dias (pode durar até 10 dias, principalmente a tosse).

GRIPE (influenza H1N1) – febre alta, acima de 38ºC (pior nos três primeiros dias, podendo durar até uma semana); tosse seca, dor de garganta frequente, dor no corpo frequente e moderada, dor de cabeça frequente e moderada, dor articular nas juntas frequente, nariz com secreção transparente, amarelada ou esverdeada e congestão (entupido), o paciente sente muito doente. Os sintomas duram entre três e 10 dias (pode durar até duas semanas e a sensação de cansaço pode durar mais).

Evite procurar uma Unidade de Saúde quando estiver apenas com resfriado. Evite emergências superlotadas.
Algumas medidas simples podem reduzir os riscos. Como a transmissão do vírus H1N1 ocorre de pessoa para pessoa, principalmente por meio da tosse, espirro, mãos contaminadas e pelas secreções respiratórias de pessoas infectadas, a prevenção é importante. Entre as medidas que devem ser tomadas estão:

 Vacinação;

 Higiene das mãos com frequência;

 Utilizar lenços descartáveis para a higiene nasal;

 Ao espirrar ou tossir, não contamine suas mãos. Use um lenço descartável ou o braço;

 Não compartilhe objetos de uso pessoal como copos, talheres e pratos;

 Mantenha os ambientes bem ventilados;

 Evite os locais com aglomerações de pessoas;

 Usa roupas adequadas à temperatura ambiente;

 Tome bastante água e tenha uma alimentação saudável;

 Evite o estresse, a ansiedade e dormir pouco. Assim como ingerir bebidas alcoólicas ou usar drogas, pois enfraquecem o sistema imunológico.