terça-feira, 18 de junho de 2019

Secretário de Assuntos Fundiários promete rigor na fiscalização de assentamentos

O vice-ministro da Agricultura e secretário nacional de Assuntos Fundiários do governo federal, Nabhan Garcia, um dos mais próximos colaboradores do presidente Jair Bolsonaro, realizou uma agenda oficial em São Gabriel, a convite do presidente do Sindicato Rural e vice-presidente da Farsul, Tarso Teixeira. Nabhan foi recepcionado no domingo, 16 de junho, com um jantar na residência do presidente da Federação Apícola do Rio Grande do Sul, Aldo Machado dos Santos, e líderes rurais como o presidente interino da UDR Décio Teixeira, o ex-prefeito de São Sepé Volnei Teixeira, o prefeito Rossano Gonçalves, o diretor do Campus local da Unipampa, professor Chariston Dal Bello, secretários municipais, dirigentes do Sindicato Rural, jornalistas e simpatizantes partidários do presidente Jair Bolsonaro. 
Na manhã seguinte, o vice-ministro reuniu-se com produtores rurais no Parque Assis Brasil, e teve acesso a denúncias de assentados sobre situações irregulares e até crimes com foco em alguns assentamentos do Município. “Os fatos que ouvi aqui são extremamente graves, e com base em tudo que coletamos, vamos solicitar ao ministro da Justiça Sérgio Moro uma averiguação rigorosa. Quero afirmar em alto e bom som que no governo Bolsonaro a reforma agrária será para quem realmente é vocacionado para produzir alimentos. Quem quer fazer baderna, falsos assentados, falsas lideranças serão exemplarmente punidas”, asseverou. Logo após, reuniu-se com o prefeito Rossano Gonçalves, que encaminhou requerimentos sobre recursos para custeio e manutenção das estradas internas e acessos dos assentamentos existentes no Município. Em seguida, Nabhan, juntamente com o prefeito Rossano, Tarso Teixeira e grande comitiva, foram ao 9º Regimento de Cavalaria Blindado, prestigiar o comandante da unidade, tenente-coronel Rocco Figueiró Rosito e os militares que participarão da “Operação Acolhida”, que será uma força-tarefa envolvendo agentes de segurança e Forças Armadas para receber os refugiados venezuelanos que chegam diariamente ao Brasil via Roraima.