PROCURE UMA NOTÍCIA AQUI:

quarta-feira, 24 de julho de 2019

O descarte irregular de lixo causa impactos irreversíveis ao meio ambiente

Sabe aquele canudinho, copo descartável, palito de pirulito, papel de bala e o cartão de crédito vencido? Aquele lixo que, por ser pequeno, você por descuido acaba jogando fora da lata de lixo, muitas vezes sem nem perceber, acaba indo parar os oceanos. Parece surreal pensarmos que o lixo em São Gabriel, cidade localizada longe do litoral, vai parar no oceano, causando morte de centenas de peixes e desequilíbrio ecológico.
Segundo pesquisa realizada pelo biólogo Robson Guimarães dos Santos em seu doutorado e divulgadas pelo portal online de notícias da Globo, o G1, 70% das mortes de tartarugas marinhas são em razão da ingestão de plástico. Além de sacolas plásticas e copos plásticos, foi encontrado, por meio de necropsia, lixos pequenos, como bituca de cigarro, canudos e outros objetos que são descartados de maneira irresponsável no meio ambiente. Conforme o biólogo, uma tartaruga-verde, por exemplo, morre ao ingerir meio grama de plástico. Além disso, a pesquisa aponta que o esgoto descartado direto nos rios e oceanos também é uma das causas de mortes da vida marinha.
A morte de tartarugas, por mais distante que seja da realidade das cidades da região do Pampa Gaúcho, o lixo jogado de maneira irregular, causa impactos enormes não apenas no ecossistema marinho, mas há riscos para a saúde do homem. De acordo com a WWF (Fundo Mundial para a Natureza), a contaminação de micro e nanoplástico, atinge também a água doce e os solos, que traz riscos para saúde humana. 
Por entender os riscos ambientais do descarte irregular de lixo e dos problemas causados pelo esgoto não tratado, que a São Gabriel Saneamento busca incentivar, apoiar e participar de práticas ambientais que visem o bem-estar do planeta. Até 2021, 60% de todo esgoto da cidade será tratado e a meta é chegar a 90% de esgoto tratado até 2024. Cuidar do planeta é cuidar da saúde!