Polêmica: Embate entre "Rossanos" abre a semana

Mesmo com pandemia em ano eleitoral, a temperatura subiu nesta segunda-feira, com a manifestação durante a Sessão da Câmara por parte do vereador de oposição Rossano Farias (Patriota), que afirmou que o Prefeito de São Gabriel, Rossano Gonçalves, estaria respondendo um processo na Justiça sob a acusação de desvio de recursos para pagamento de dívidas de pessoa física, no valor de 49 mil reais. O Prefeito, por sua vez, se manifestou à noite quando disse que não responde a nenhum processo, que nunca teve "a Polícia Federal batendo na sua porta" e que vai processar o parlamentar.

A manifestação de Farias
Na sessão desta segunda-feira (29), o vereador Rossano Farias afirmou que o Prefeito Rossano teria utilizado, em 2012, um recurso da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), para "pagamento de dívidas pessoais", mas não chegou a detalhar o que era exatamente. "Faço uma denúncia usando minha imunidade parlamentar para dizer que o Prefeito está sendo acusado e há um processo em andamento por uso de recursos da FUNASA para pagamento de conta pessoal, com denúncia do Ministério Público e acatada pelos Desembargadores", afirmou o parlamentar, que acusou repetidas vezes o Prefeito de ação "vergonhosa", disse ele.
Farias afirmou que a suposta irregularidade foi denunciada após 2012, pela Procuradoria Jurídica na Administração de Roque Montagner (PT) e disse que a qualquer momento a questão pode ser julgada pela Justiça. "O que os vereadores de situação vão defender? Gostaria que o Prefeito mandasse seus assessores me atacarem nas redes sociais, mas é uma vergonha, não tem defesa", atacou no microfone, evocando a imunidade parlamentar.

A manifestação do Procurador Jurídico da época

Citado pelo vereador Farias, o Procurador Jurídico da época, Guilherme Abib, foi ouvido pelo site e diz que o assunto trata-se de um programa da FUNASA para melhorar a estrutura de casas que não possuíam fossas, entre outras coisas, como prevenir a doença de chagas.
"A FUNASA mandava o recurso e eram feitas as fossas sépticas, melhorava as casas e aí vinha o recurso específico para isso, onde não foi aplicado o recurso e ele (pessoa física) foi condenado a devolver o valor, porém utilizou o dinheiro do município e pagou o apontamento", disse Guilherme Abib.
O advogado ainda se colocou à disposição para dar maiores detalhes e mostrar os documentos, assim como falar de outros processos de improbidade que atuou como procurador, para informar o andamento, quais houve condenação e a extensão das decisões.

A resposta do Prefeito
Durante o vídeo diário nas redes sociais da Prefeitura, o Prefeito falou do assunto e disse que as acusações de Farias são "levianas, mal-intencionadas" e chamou o parlamentar de "desinformado". "Não respondo a nenhum processo por corrupção, dolo ou mal versação de verba pública. Alguns processos que já respondi foram por falhas administrativas. Esta questão se refere a um recurso destinado para combate ao Mal de Chagas que foi prestada conta após o prazo estipulado e estamos ainda nos defendendo", afirmou.
Rossano anuncia que vai processar o vereador e disse ainda: "Quem já teve a Polícia Federal batendo na porta de sua casa, não tem moral para me questionar. Nunca a PF bateu na porta da minha casa ou de qualquer familiar meu, nem tive minha casa fiscalizada", afirmando que o foco da Administração é salvar vidas neste momento de pandemia. "Eles não se aliaram à luta do Executivo, preferindo fazer uma oposição baixa e mesquinha, conspirando contra a comunidade. Eu preciso salvar vidas, fazer com que mais pessoas não sejam hospitalizadas e não contraiam o vírus. O vereador vai responder por essas acusações e repito: nunca tive minha casa ou de meus familiares fiscalizada pela Polícia Federal", finalizou.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.