Em plenária regional, Cpers define por greve assim que pacote de medidas do Governo do Estado for protocolado na Assembleia

Plenária falou sobre alterações na carreira e decisão por greve foi unânime
Fotos: Anderson Almeida/Coluna Ponto de Vista
Na quarta-feira, 23, às 17h30min, o Ginásio de Esportes da Escola Marques Luz, foi palco da Plenária Regional do 41º Núcleo do CPERS/Sindicato - São Gabriel.

O evento contou com a presença da Presidente do CPERS/Sindicato, professora Helenir Aguiar Schurer e Buchabqui e Pinheiro Machado Advogados Associados, responsável pela assessoria jurídica do CPERS/Sindicato. A plenária teve como tema a Reforma da Previdência e alterações na carreira dos educadores, professores e funcionários.
Com boa presença de público, ficou definido que, em 72 horas após o pacote de medidas do Governador Eduardo Leite for protocolado na Assembleia Legislativo, a greve inicia.
"Ficou claro para os educadores que em nenhum item do projeto existe a preocupação em buscar a qualidade da educação e o respeito a carreira dos professores e funcionários, simplesmente é uma lei que só tira direitos adquiridos e propõe a miséria salarial. Será uma greve diferente das outras, pois nenhum governo até agora tinha proposto algo tão nefasto e destruidor para a educação dos gaúchos", destaca o Diretor do 41º Núcleo do Cpers, Pedro Moreira.
Pedro enfatiza ainda que, no primeiro dia de greve, será feito uma assembleia geral para definir as atividades da greve.
"Vamos buscar o apoio de todos para barrar esse projeto de morte, principalmente os representantes dos partidos que dão sustentação ao governo de Eduardo Leite", finaliza.
Tecnologia do Blogger.