Número de reprovados geram divergências entre Rossano e Sandra

Na última terça-feira, 6, Conselho Municipal de Educação (CME) realizou um debate entre os candidatos à Prefeitura Municipal e o número de reprovados em escolas municipais gerou divergências entre os candidatos Rossano Gonçalves (PL) e Sandra Weber (PODEMOS).

81% DE APROVAÇÃO

O candidato da coligação “São Gabriel em Frente”, Rossano Gonçalves, 
reforçou o apoio ao setor educacional com novos investimentos e manutenção de ações que continuam dando certo, como investimentos na informatização das instituições de ensino (hoje, somente duas escolas da zona rural não tem internet em razão da falta de sinal. As demais escolas - das zonas urbanas e rural - estão totalmente equipadas), qualificação do ensino e apoio a capacitação dos profissionais, além de seguir investindo esforço na manutenção do Piso Nacional dos Professores.
Uma das novidades apresentadas pelo candidato, está a criação de uma Rede de Proteção, envolvendo Saúde, Assistência Social e Educação, dando amparo ao aluno e a famílias classificadas em situações de vulnerabilidade social.
O projeto de governo prevê a implantação de turno inverso, que poderá seguir modelo adotado na pandemia, com os alunos tendo reforço escolar via remota.
No passado, o governo conseguiu combater a evasão escolar com investimento em uniformes. Isso acontecia no inverno. “Por causa do frio, os alunos não iam para a sala de aula. Ainda vejo, até hoje, o jaquetões. Investimos e conquistamos resultados. O mesmo acontece com a merenda escolar. É de qualidade e muitas crianças precisam desse alimento. Por isso, estamos investindo e vamos melhorar”, destacou.
Rossano ainda ressaltou os números de aprovação na Rede Municipal de Ensino. O índice de aprovação dos alunos do ensino fundamental é de 81,9%, com reprovação de 15,3%. Em toda a rede, 2,9% dos estudantes acabam abandonando os estudos.
Quando separadas, zonas urbana e rural, o percentual da cidade cai para 80,7%, com 16,3% de reprovação e 3% de desistência. Já nas escolas do campo o índice de aprovação aumenta, atingindo 90,8%, com reprovação de 7,4% e abandono de 1,8%.
Segundo a assessoria do candidato, os dados, que são oficiais da Secretaria Municipal de Educação, foram divulgados nesta quinta-feira e rebatem informações de que o índice de repetência chega a 33%.

SANDRA QUESTIONA NÚMEROS

Em material encaminhado à imprensa nesta sexta-feira, a candidata Sandra Weber voltou a falar sobre o questionamento explanado por ela no debate, onde afirmou que o índice de reprovação chega a 33%. 
"A Educação é o único instrumento que pode promover a mobilidade social, que pode realmente transformar vidas e projetar um futuro promissor. Consequentemente, está entre as nossas prioridades. E quando digo "nossas", não estou apenas usando um plural de modéstia ou fazendo retórica. Eu digo "nossas" porque Dr. Bina e eu vamos trabalhar juntos. Eu não quero e, nem ele aceitaria, um vice inoperante ou apenas decorativo. Posto isso, eu reafirmo que os nossos índices de reprovação são superiores a 30%. E não fui, em nenhum momento, leviana quando fiz tal afirmação. Eu afirmei amparada no site qedu.com.br, onde qualquer pessoa pode ter acesso, haja vista que faz parte da política de transparência que hoje predomina no país", disse.
Weber disse que jamais questionou a competência dos nossos professores. 
"Jamais! Pelo contrário, eu os considero verdadeiramente herois, haja vista as dificuldades que enfrentam, os baixos salários e a falta de investimentos na qualificação do corpo docente. Tanto eu quanto o Dr. Bina somos filhos de professores e, naturalmente, conhecemos essa realidade. E temos projetos para dar qualificação continuada aos professores, bem como fazer o acolhimento dos alunos mais vulneráveis no contraturno. Esse acolhimento, que inclui atendimento psicológico, atendimento médico e lazer orientado, esse acolhimento fará a diferença no aproveitamento escolar. A criança precisa de um suporte emocional para superar as dificuldades de aprendizado. Basta que se faça uma pesquisa séria e então saber-se-á que os reprovados, normalmente, são aqueles que vivem situações de vulnerabilidade. E uma vez eleitos, doutor Bina e eu vamos lutar, bravamente, para dar outra qualidade às nossas crianças, aos nossos adolescentes e aos nossos professores - que serão devidamente valorizados, pois que valorização não é apenas salário, mas sobretudo a disponibilidade de cursos e recursos. Vamos baixar, sim, esse índice de reprovação - que também considero inaceitável. E o faremos já no primeiro ano da nossa gestão", finalizou.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.