Representantes de entidades do magistério solicitam apoio do Prefeito e da Câmara para que aulas retornem somente após a vacina

Nesta sexta-feira, 16, o 41º Núcleo do Cpers/Sindicato, através do Diretor Pedro Moacir Moreira, juntamente com a presidente da Associação de Professores Municipais de São Gabriel, Ana Maria de Oliveira, e a vice-presidente do Conselho Municipal de Educação, Maris Motta, entregaram ao Prefeito Rossano Gonçalves e ao Presidente do Poder Legislativo, Claudiomiro Borges, ofício solicitando apoio em relação a pressão dos governos Estadual e Federal para o retorno das aulas presenciais neste momento.

"A Secretária Estadual de Educação tem afirmado que a vacinação não pode ser requisito para o retorno das atividades presenciais, o que muito nos assusta, pois os profissionais de educação têm contato direto com estudantes e suas respectivas famílias e, mesmo com as medidas preventivas da infecção pelo COVID estabelecidas e obedecidas pelos responsáveis, o risco da contaminação será grande entre estudantes e referidos profissionais, o que torna a vacinação um requisito fundamental para a volta às aulas", destaca Pedro. 
Os representantes de entidades do magistério também destacaraam que se abrir as escolas, é prioridade do Governo Estadual, a imunização dos envolvidos.
"Importante ressaltar que não queremos furar a “fila,” não queremos “camarote da vacina”, porém é nossa responsabilidade condicionar o retorno presencial das aulas à imunização dos professores e funcionários de Escola, portanto, se realmente os governos exigem o retorno das aulas presenciais, é imprescindível que busque então acelerar o ritmo das vacinações para todos envolvidos. Não queremos ser prioridade, queremos que a educação seja prioridade e que a saúde dos nossos estudantes e seus familiares, assim como dos profissionais envolvidos, seja preservada", finalizou Moreira.

O Prefeito Rossano informou, durante audiência que contou com a participação do vice-prefeito Lucas Menezes e do secretário municipal de Educação, Edjor Borges, que no que couber à atribuição legal da Prefeitura de São Gabriel, as aulas presenciais só serão permitidas no município após a imunização dos professores e funcionários das escolas municipais, estaduais e particulares.
Um projeto de lei, que deve ser votado no Congresso Nacional em regime de urgência nos próximos dias, propõe declarar as escolas públicas e privadas como serviço essencial, para precipitar o retorno imediato das escolas públicas e particulares.
O prefeito reiterou que segue as observações do COE-E Municipal (Comitê de Operação em Emergência Covid-19 da Educação), cujo parecer técnico desaconselha o retorno às aulas presenciais antes da imunização do quadro funcional.
“Não se trata somente de vacinar os professores. Há também os servidores das escolas, e é bom lembrar que muitos professores dão aula em escolas tanto estaduais quanto municipais e até particulares. Iniciar as aulas sem a imunização deste quadro, a nosso ver, é uma preocupação", finalizou.
Já o Presidente Claudiomiro declarou apoio e afirmou que o documento será encaminhado aos demais vereadores para que, posteriormente, a reivindicação seja encaminhada ao governador Eduardo Leite. “Assim como nós em São Gabriel, diversas outras cidades estão encaminhando documento semelhante ao governador. Dessa forma teremos mais força em demonstrar nossas reivindicações”, afirmou.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.