Prefeitura autoriza retorno das aulas particulares, mas descarta retomadas das atividades nas escolas públicas do município

A prefeitura municipal autorizou, por decreto, o retomada do ensino presencial em escolas da rede particular a partir desta quinta-feira (29). Poderão ter aulas presenciais alunos do ensino infantil (Pré-A e Pré-B) e do ensino fundamental (do 1º ao 9º ano). O prefeito Rossano Gonçalves deixou claro que o retorno não é obrigatório e poderá ser definido de acordo com o protocolo de cada instituição. O aluno também poderá optar por seguir em casa e, desta forma, as escolas deverão dar continuidade às atividades propostas pelo modelo de ensino remoto.
O novo decreto foi assinado na tarde desta quarta-feira (28) e, em sua maioria, segue o estabelecido no decreto estadual. A exceção fica por conta do ensino público, que, em São Gabriel segue proibido. O prefeito Rossano Gonçalves disse que é prematuro autorizar o retorno das atividades nas escolas municipais e estaduais, pois envolve um público superior a 11,5 mil estudantes com idades que variam dos 3 aos 14 anos.
“A relação entre o ensino particular e o ensino público é bem diferente. Nós temos segurança de que o ensino remoto, que está sendo administrado, ministrado e aplicado para as nossas crianças - desde março do ano passado - é sucesso. Hoje, 97% dos alunos da nossa rede participam ativamente do ensino remoto (pela internet). Quem não tem, nós estamos levando o material em casa, principalmente em algumas regiões do interior do Município”, argumentou o prefeito, justificando a decisão com base em números.
“Hoje, somando todos os alunos da rede particular, as escolas tem 556 estudantes. Já a rede pública envolve mais de 11 mil e 500 estudantes. Só na rede municipal, são mais de 6.900 alunos e na estadual, 4.600. Estamos falando de um número expressivo de estudantes, centenas de professores e profissionais que estariam, a partir de amanhã (pelo decreto do governador) confinados em salas de aulas e estariam se colocando em risco, já que a grande maioria ainda não foi imunizada contra a Covid-19.
Além disso, o prefeito relacionou a decisão a condição da Santa Casa. O Hospital continua com superlotação, com 100% dos leitos de UTI Covid ocupados e o Município com 327 casos ativos (segundo boletim desta quarta), o que requer, na visão dele, cuidados redobrados e manutenção dos critérios de distanciamento.
O decreto 061/2021 também levou em consideração os índices de lotação nos hospitais da região, que hoje tem uma médica de 117% de ocupação/leitos, bem acima da capacidade instalada para atendimento.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.