Design-sem-nome-1

Lojistas comentam sobre expectativas para o aumento das vendas no Dia dos Pais

Depois de um ano em que as vendas das datas comemorativas sofreram diretamente com o contexto da pandemia e as incertezas em relação ao funcionamento dos negócios, o Dia dos Pais de 2021 deverá ser diferente, com movimento maior e um crescimento de vendas em relação ao baixo patamar de 2020, com expectativa de voltar aos patamares de 2019. 
A perspectiva para a data segue o desempenho recente da retomada das vendas dos segmentos do varejo mais afetados com a crise, sobretudo calçados e vestuário, que acontece diante do retorno gradual da circulação ao passo que a vacinação avança e as restrições diminuem, com suporte do crédito e da retomada do mercado de trabalho formal.

"VAREJO FOI O MAIS AFETADO", DIZ BRITTO
O Coluna Ponto de Vista ouviu o Presidente do Sindilojas, Aljaci Britto, que informou que os períodos mais difíceis foram de novembro de 2020 a março deste ano, quando o comércio esteve fechado por duas vezes, onde o ramo de varejo realmente foi o mais afetado.
"Tivemos uma queda nas vendas que chegou a atingir 40% nas vendas do mês, mas com o avanço da vacinação, acreditamos - e já houve uma melhora sem sombra de dúvidas, a partir de abril - que a situação fique melhor. Ramos como alimentação, farmácia e material de construção, inclusive tiveram um aumento de faturamento, mas o segmento varejo, realmente teve perdas que não se recuperam mais, com empresas fechando e ocasionando em desemprego nestes segmentos. Acreditamos que a partir de setembro, quando as vacinações começarem a ser finalizadas e o retorno normal de bares, restaurantes e eventos teremos um aumento dos postos de trabalho  e, automaticamente, um consumo no comércio e teremos um final de ano muito positivo", destacou Britto.

AUMENTO DE EMPREGOS COM CARTEIRA ASSINADA
O Presidente do CDL, Juca Moure, também vê o retorno às atividades com bons olhos e com grande expectativa para esta data.
"Aos poucos, tudo está voltando ao normal. Tem gente que fechou e que não abre mais, tem gente que saiu do mercado, o pequeno sofreu, sentiu este período", ressaltou.
Moure, por outro lado, vê que apesar da pandemia, o número de empregos com carteira assinada tem crescido em São Gabriel, ao contrário de muitos municípios na região e, entende, que a retomada das atividades vai fazer com que o município se desenvolva ainda mais.
"Mesmo com a pandemia, a gente viu empresas vindo se instalar em São Gabriel", ressaltou.
O site tentou contato com o Presidente da ACI, Cristiano Friggi Carvalho, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.