PROCURE UMA NOTÍCIA AQUI:

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Relatando fatos de nosso cotidiano, Amenidades 11 será relançado na Feira do Livro

O livro Amenidades 11, do escritor gabrielense João Alfredo Reverbel Bento Pereira, será relançado na Feira do Livro - que ocorre de 3 a 6 de outubro - na Praça Dr. Fernando Abbott.
Abordando fatos do cotidiano local, os textos que semanalmente são publicados no Jornal da Cidade, se transformaram no livro "Amenidades". Temas que são contados numa mesa de bar, num churrasquinho entre amigos e nas viagens que Reverbel realiza para a Capital ou para a campanha, são estampados na obra.
"A ideia das crônicas é não criar polêmicas, mas sim, fazer com que o leitor possa apreciar e rir dos assuntos por mim abordados. Eu ando sempre com um caderninho do Grêmio na mão e anoto todos os detalhes", frisa o autor que, inicialmente pensava em fazer 12 edições e parar, porem, agora, a ideia é não parar.
O livro custa R$ 10,00 e pode ser adquirido com o autor através do telefone (55) 99914.3512 ou ainda na Livraria São Matheus (Rua Coronel Soares, 479) e Livraria Valíria (Rua Mascarenhas de Moraes, 490).

EDIÇÕES ANTERIORES
Reverbel está possibilitando a todas as pessoas a adquirir as 10 primeiras edições, por R$ 5,00 cada, ou seja, por R$ 60,00 (se quiser também a edição 11), você pode valorizar um autor gabrielense e apreciar uma leitura de excelente qualidade. A promoção é válida até o término da Feira do Livro.

QUEM É O AUTOR

João Alfredo Reverbel Bento Pereira, nasceu em São Gabriel, em 11 de julho de 1944. Como muitos de sua época, apreendeu as primeiras letras através de professora particular. Após, fez o primário. Aos dez anos, com sua família, mudou-se para Porto Alegre, onde cursou o ginasial no IPA e o clássico no Júlio de Castilhos. Passou pelo CPOR/POA, no Curso de Cavalaria. Como Oficial R-2, estagiou em sua cidade natal, começando a Faculdade de Direito. em Santa Maria, concluindo seus estudos acadêmicos no CEUB, em Brasília/DF. Ingressando nos quadros do Ministério Público, como Procurador, exerceu essas atividades em Porto Alegre até sua aposentadoria. 
Retornou à São Gabriel, onde advogou. Vencido pela modernidade, afastou-se em definitivo da advocacia.