Triste realidade: Em menos de 4 meses, família inteira vai parar na prisão

Operação resultou na prisão das mulheres na tarde de sexta-feira
Arte sobre fotos de Márcio Vaqueiro
O tráfico de drogas não escolhe sexo, cor e nem idade e, durante anos, tem sido um “veneno” que destrói famílias. Por causa da ação indiscriminada, principalmente nas regiões mais pobres da cidade, a criminalidade tem achado “apoio” em grupos familiares que já se encontram fragilizados e envolvidos no mundo do crime. A prisão de duas mulheres, no final da tarde de sexta-feira (02), revela a realidade que assombra São Gabriel. Em menos de quatro meses, uma família inteira foi parar na prisão.

Os policiais do setor de combate ao tráfico de drogas, com apoio da Brigada Militar, prenderam Jaina Brás Ramos e Cátia Antunes. Elas foram detidas em casa, na Rua São Lourenço, no Bairro Élbio Vargas. Segundo a polícia, no mesmo terreno, foram construídas várias residências e o tráfico vinha sendo administrado em família.



Na casa de Jaina, os policiais encontraram uma balança de precisão, 20 porções de crack e um telefone celular. Na outra casa – de Cátia – os agentes localizaram 31 gramas de crack em porções, 43 porções embaladas da mesma droga, um telefone celular e R$ 1.628,75.
Cátia é mulher de Everaldo Santiago Santiago (vulgo Vado), de 37 anos, preso durante a Operação Areeiros, deflagrada no mês de maio no Bairro Élbio Vargas. Na mesma ação, foram presos os irmãos Ronaldo, de 19, e Mário Felipe Antunes Moreira, de 22, filhos de Cátia. Este último, é marido de Jaina.
A investigação do setor de combate ao tráfico de drogas mostrou que, mesmo depois da prisão dos homens, as mulheres seguiram administrando o comércio ilegal de drogas.

SAIBA MAIS
As investigações começaram no primeiro semestre. A operação de combate ao tráfico de drogas, furtos e receptações – em maio deste ano – desencadeou na prisão de quatro elementos. Foram presas pessoas apontadas como responsáveis por comandar o tráfico de drogas ilícitas no Bairro Élbio Vargas (conhecido por João de Barro), na zona sul da cidade, e por administrar um esquema de receptação de objetos furtados.
Na prática, os elementos – além difundir o tráfico de entorpecentes na região – também respaldavam o comércio ilegal de materiais furtados. Por causa da ação deles, “usuários” de drogas, geralmente viciados em crack, praticavam furtos em residências e estabelecimentos comerciais com o objetivo de transformar os objetos em moeda de troca pela droga.
A operação – batizada com o nome de Areeiros, em razão da profissão dos envolvidos no crime – aconteceu em dois pontos do Bairro Élbio Vargas, nas ruas Santa Rita e São Lourenço. Nesta última, num mesmo terreno, quatro residências foram revistadas.
Foram presos, em flagrante, os elementos Jorge Luis Fagundes Fagundes, de 53 anos; Everaldo Santiago Santiago (vulgo Vado), de 37; e os irmãos Ronaldo, de 19, e Mário Felipe Antunes Moreira, de 22.

Fonte: A Notícia
Tecnologia do Blogger.