RS perdeu 88,6 mil empregos. No mesmo período, São Gabriel teve saldo positivo de 191

Reportagem do jornal Zero Hora, publicada nesta sexta-feira (16), mostra que o Rio Grande do Sul perdeu 88,6 mil empregos formais entre janeiro e agosto deste ano. A causa tem a ver com a combinação entre estiagem e a pandemia de Covid-19.
Segundo estudo do Departamento de Economia e Estatística (DEE), divulgado na quinta-feira (15), o número representa queda de 3,5% no estoque total de vagas de trabalho com carteira assinada. O órgão está vinculado à Secretaria Estadual de Planejamento, Governança e Gestão.
As 88,6 mil vagas perdidas decorrem da diferença entre demissões e contratações no período. Ou seja, o resultado negativo confirma mais cortes do que admissões. A pesquisa compilou dados do Novo Caged, o cadastro de empregos formais do Ministério da Economia.
Segundo informações da comunicação social da Prefeitura, no mesmo período, São Gabriel registrou saldo positivo de 191 novos empregos. Segundo dados do Caged, o município registrou perda líquida de 131 postos de trabalho até julho, mas, em contrapartida, contabilizou 322 novos empregos.
O jornal de Porto Alegre informou que, entre os setores da economia gaúcha, a maior perda relativa foi a do comércio (5,5%), seguido pelo ramo de serviços (3,7%). Ambos os segmentos sofreram com a paralisação de empresas durante a crise do coronavírus.
Em São Gabriel, o setor que mais investiu foi o industrial, com o emprego de 177 pessoas. O comércio vem logo na sequência com 98 admissões.
A explicação para essa “geografia" diferenciada em São Gabriel está na postura do governo municipal. Em reunião com empresários, na noite de quinta-feira, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), João Custódio Moure, admitiu que a postura do prefeito de São Gabriel - em manter medidas restritivas de combate à covid, mas não impedir o funcionamento do comércio - foi essencial para manter a economia forte e a classe fortalecida.
O estudo do DEE foi batizado como Boletim de Trabalho. Conforme a pesquisa, das nove regiões funcionais do Estado (RFs), oito tiveram perda de empregos entre janeiro e agosto. A exceção foi a área que engloba os vales do Rio Pardo e do Taquari, beneficiada pela sazonalidade da cadeia do fumo.
São Gabriel pertence a Região Funcional 6 e é, junto com Itacurubi, umas das exceções entre os municípios pertencentes a Associação dos Municípios da Fronteira Oeste (Amfro) com números positivos. A RF6 contabilizou -2,4 mil empregos no período, o equivalente a 2,3% no Estado.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.