Prefeito reafirma necessidade da vacina para as aulas presenciais

O prefeito Rossano Gonçalves reafirmou mais uma vez a necessidade de ao menos uma dose da vacina contra a Covid-19 em professores e funcionários de escolas para pensar em retomar, com segurança, o ensino presencial em escolas públicas no município, sejam elas estaduais ou municipais. 
O Chefe do Executivo reiterou esta manifestação na manhã desta quarta-feira, 19, em teleconferência com a Promotora de Justiça Regional de Santa Maria, Rosângela Corrêa da Rosa, com a presença da Coordenadora de Ensino da 19ª Coordenadoria Regional de Educação de Sant’Ana do Livramento, Ana Alice Campagnaro; do promotor da Comarca de São Gabriel Thomaz de La Rosa da Rosa; do secretário municipal de Educação Edjor Borges: e o procurador jurídico municipal, Valdemir de Andrade Jobim.
O prefeito ressaltou ter se empenhado para iniciar uma vacinação em massa dos professores e funcionários de escolas, a partir do estoque excedente gerado com a proibição da vacinação de gestantes e puérperas pelo Ministério da Saúde, mas a sua solicitação para o uso de tais doses foi negada pelo Comitê Intergestor Bipartite, vinculado à Secretaria Estadual de Saúde. 
“Quisemos priorizar os professores, o Comitê não permitiu e a orientação vigente do STF também não. Portanto, estamos seguindo rigorosamente a ordem estipulada pelo Programa Nacional de Imunização”, afirmou.
O Chefe do Executivo também manifestou preocupação com a pressão do governador Eduardo Leite, através da Procuradoria Geral do Estado, sobre prefeitos do interior, buscando forçar a reabertura das escolas públicas sem a vacinação. “Por doze meses do seu falecido sistema de bandeiras, não houve aulas presenciais, e agora neste sistema dos 3 A’s, onde tecnicamente a gestão dos protocolos é dos municípios, ele exerce essa pressão sobre as prefeituras”, assinalou.
Rossano propôs, como forma de introdução à reabertura futura das escolas, um Projeto-Piloto de retomada do ensino híbrido em uma ou duas escolas, somente com professores e funcionários que já estejam vacinados, para uma retomada gradual das atividades presenciais. 
Uma nova reunião com o Ministério Público ficou agendada para o dia 7 de junho, onde essas e outras possibilidades serão discutidas, de acordo com a conjuntura e a ampliação da cobertura vacinal no Município.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.